Info

Covid-19: Câmara de Lisboa acelera plano de investimentos no valor de 620ME

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 25 mar 2020 (Lusa) - A Câmara de Lisboa vai acelerar a concretização do plano de investimentos para este ano e seguintes, no valor de cerca de 620 milhões de euros, anunciou hoje o presidente da autarquia.

Esta verba corresponde aos concursos que estão neste momento ainda em execução pela câmara e pelas empresas municipais, aos concursos que serão lançados ainda no primeiro semestre deste ano e também os previstos para o segundo semestre, explicou Fernando Medina (PS).

"Esta é uma forma de reforçar o serviço publico, mas é também uma forma de apoiar o emprego e preservar a capacidade produtiva numa altura em que a cidade mais necessita", afirmou Medina, que falava à imprensa por videoconferência para apresentar as medidas da autarquia para apoiar as famílias e as atividades económicas da cidade face à pandemia da covid-19.

O investimento de 620 milhões de euros divide-se "por um conjunto vasto de áreas", desde a construção de centros de saúde, unidades de cuidados continuados, creches, escolas, habitação, infraestrutura verde, espaço público, sistema de saneamento, mobilidade e turismo, indicou Medina.

A Câmara vai também "manter em pleno funcionamento o licenciamento urbanístico por teletrabalho", a ser realizado por "mais de 400 trabalhadores".

TYS // MLS

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Arranque da semana marcado com novo aumento dos combustíveis  

O arranque desta semana fica marcado com um novo aumento dos combustíveis, com a gasolina a aumentar um cêntimo e o gasóleo a rondar uma subida de dois cêntimos por litro. Com o pouco movimento que o Porto Canal verificou na manhã desta segunda-feira, os Portuenses optaram por abastecer o depósito no fim de semana.

Covid-19: Adesão a pagamento fracionado do IVA não exige quebra de faturação de 10%

As micro e pequenas empresas que pretendam aderir ao pagamento fracionado do IVA e retenções na fonte do IRS e IRC podem fazê-lo mesmo que não tenham registado uma quebra de faturação de 10%, segundo um despacho agora publicado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS