Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Associação Sindical da Polícia disponibiliza linha de apoio

Covid-19: Associação Sindical da Polícia disponibiliza linha de apoio
| País
Porto Canal

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) disponibiliza a partir desta quarta-feira uma linha de apoio para polícias e seus familiares na qual podem pedir informações, esclarecimentos sobre ação social ou acompanhamento psicológico, foi hoje anunciado.

Em comunicado, a ASPP/PSP adianta que, na sequência dos efeitos da pandemia de covid-19 e do estado de emergência, os seus associados e familiares podem recorrer à linha de apoio através do número (+351) 962 076 140 covid-19|Emergência Social, que trabalha em rede com os Serviços Sociais e Gabinete de Psicóloga da PSP.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da ASPP, Paulo Rodrigues, adiantou que a linha vai começar a funcionar hoje e pretende ajudar "todos os polícias e os seus familiares que dela necessitem".

"Basicamente não é um serviço que pretende substituir-se à Direção Nacional da Polícia, nem aos departamentos específicos. Pretendemos que haja um complemento na ajuda, seja para esclarecer ou informar policias sobre questões especificas", disse.

O apoio técnico e qualificado, passa, segundo Paulo Rodrigues, desde uma simples informação sobre procedimentos e direitos, passando por estratégias para enfrentar o isolamento, até à sinalização e encaminhamento dos casos mais importantes junto dos Serviços Sociais da PSP, bem como do gabinete de psicologia da PSP.

"Questões como por exemplo: tenho um filho com doença crónica posso ficar em casa? Ou a minha mulher é enfermeira. Ou então a família está numa situação debilitada ou estão afetados psicologicamente por causa da situação", referiu.

"É um complemento. Pretendemos que sejam esclarecidos, apoiados e informados. O serviço é dirigido a associados, mas como é uma situação muito especial se houver um colega que não o seja também será ajudado. (...) Somos todos polícias independentemente de ser associado. Se há um problema todos temos de ajudar", frisou.

Em Portugal registaram-se 33 mortes e 2.362 infeções confirmadas, segundo o balanço feito na terça-feira pela Direção-Geral da Saúde. Dos infetados, 203 estão internados, 48 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 22 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Na segunda-feira, a PSP revelou que cinco polícias e dois técnicos sem funções policiais estão infetados com covid-19 e uma esquadra no concelho de Vila Nova de Gaia estava encerrada.

Em comunicado, a direção nacional da PSP especificou que, até ao momento, há a confirmação de sete profissionais (cinco polícias e dois técnicos sem funções policiais) infetados com o novo coronavírus e cerca de 250 elementos desta polícia estão em quarentena.

Esta força de segurança dá conta que "foram contagiadas fora do contexto profissional" e que foram seguidos os protocolos em vigor, tendo sido de "imediato encaminhadas para isolamento" as pessoas que mantiveram contacto direto ou partilharam o mesmo espaço de trabalho com os infetados.

+ notícias: País

Infeção pelo vírus 'monkeypox' em Portugal pode ser um surto

Os casos de infeção pelo vírus 'monkeypox', avançados em primeira mão pelo Porto Canal, confirmados em Portugal podem constituir um surto, mas não está "para já" identificada qualquer ligação entre eles para além do local onde foram detetados, disse hoje a infeciologista Margarida Tavares.

EXCLUSIVO.

Vírus 'monkeypox' chega a Portugal. DGS confirma pelo menos cinco casos e 20 suspeitos

O vírus 'monkeypox', a varíola dos macacos, chegou a Portugal e já há pelo cinco casos confirmados. O Porto Canal sabe que os doentes são todos homens e a situação está ser acompanhada pelas autoridades de saúde para se perceber a ligação entre os casos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras