Covid-19: BE abre hoje primeiro debate quinzenal após estado de emergência

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 24 mar 2020 (Lusa) - O Bloco de Esquerda abre hoje na Assembleia da República o primeiro debate quinzenal com o primeiro-ministro, António Costa, após a declaração do estado de emergência devido à pandemia da covid-19.

Após a abertura, pelo BE, a ordem das questões colocadas ao chefe do executivo prossegue por ordem decrescente de representação parlamentar: PS, PSD, PCP, CDS-PP, PAN, PEV, CH e IL.

A conferência de líderes parlamentares decidiu na segunda-feira que o debate quinzenal de terça-feira será feito apenas com quórum de funcionamento (um quinto dos deputados, 46), e que o plenário voltará a reunir-se em 01 de abril, podendo renovar o estado de emergência.

O Governo transmitiu na conferência de líderes de segunda-feira, através do secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, disponibilidade para "reuniões periódicas com os líderes parlamentares para dar informações contínuas sobre o ponto de situação relativo ao novo coronavírus", de acordo com a informação da porta-voz da reunião e deputada do PS, Maria da Luz Rosinha.

Esta é o primeiro debate quinzenal com o primeiro-ministro após o decreto do estado de emergência devido à pandemia de Covid-19, depois de a Assembleia da República ter aprovado a declaração do estado de emergência e a proposta de lei do Governo com medidas para conter os efeitos da pandemia Covid-19.

Em Portugal, há 23 mortes e 2.060 infeções confirmadas, segundo o balanço feito na segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Dos infetados, 201 estão internados, 47 dos quais em unidades de cuidados intensivos.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou na terça-feira o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

ACL (SMA) // JPS

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Rangel diz que caso de Sérgio Figueiredo é mais um "tique de absolutismo" do PS. Bloco de Esquerda e PCP dão o tema por encerrado

O vice-presidente do PSD lamenta o silêncio do ministro das Finanças enquanto evoluía a polémica à volta da contratação de Sérgio figueiredo para o seu ministério. Paulo Rangel denuncia ainda o facto de o contrato permanecer secreto e chama a este caso o primeiro-ministro António Costa. Já Bloco de Esquerda e PCP dão o caso por encerrado, ao contrário do Chega que ainda espera explicações do gioverno. 

PSD diz que incêndios "são problema político" a que Governo não dá "resposta à altura"

O PSD considerou esta quarta-feira que os incêndios são "um problema político" ao qual António Costa e o PS "não sabem, não estão a dar, uma resposta à altura" e acusou o Governo de ser "especialista em desresponsabilizar-se".

Ministro das Finanças lamenta não poder contar com "valioso contributo" de Sérgio Figueiredo

O ministro das Finanças, Fernando Medina, lamentou hoje "não poder contar com o valioso contributo de Sérgio Figueiredo ao serviço do interesse público", após a renúncia do antigo diretor de informação da TVI ao cargo de consultor do ministro.