Guerra na Ucrânia - Clique aqui e veja os pontos essenciais
Info

Covid-19: Guarda assegura acesso a medicamentos e bens alimentares a cidadãos vulneráveis

| País
Porto Canal com Lusa

Guarda, 18 mar 2020 (Lusa) - A Câmara Municipal da Guarda anunciou hoje que vai assegurar o acesso a medicamentos e a bens alimentares a cidadãos vulneráveis do concelho, devido à Covid-19.

"Atentas as excecionais medidas de contingência que têm vindo a ser aplicadas nos últimos dias para combater a pandemia do Covid-19, a Câmara Municipal da Guarda vai assegurar o acesso de todos os cidadãos pertencentes a grupos vulneráveis e sem apoio familiar (doentes crónicos, pessoas isoladas ou com problemas de saúde/mobilidade) a medicamentos e a bens alimentares", refere a autarquia num comunicado enviado à agência Lusa.

O município presidido por Carlos Chaves Monteiro indica que também garante "o acesso a transportes desses mesmos cidadãos, desde que a necessidade assim o justifique".

Na mesma nota, a autarquia indica ainda que alargou o prazo para que os habitantes possam proceder ao pagamento da fatura da água, saneamento e resíduos sólidos.

"Dada a situação epidémica provocada pelo Covid-19 e tendo em conta a perigosidade de contaminação com as saídas à rua dos cidadãos e o perigo de contágio com o manuseamento de terminais de pagamento automático, os consumidores de água e utentes de saneamento e resíduos sólidos do concelho da Guarda vão ter um prazo mais alargado para o pagamento das suas faturas", lê-se.

Segundo a autarquia, em relação às faturas emitidas, "cuja data de pagamento deveria ocorrer até 24 de março", o prazo "será alargado até ao dia 31 de maio do presente ano".

"Também as faturas a emitir durante o período de contingência, passam a ter um prazo de pagamento de 90 dias, conforme constará na respetiva fatura", conclui.

O grupo municipal do BE da Guarda defendeu hoje, em comunicado, que o município deve "isentar todos os agregados familiares e respetivas empresas do concelho de qualquer pagamento do consumo de água, saneamento e resíduos", durante o período em que a pandemia da Covid-19 estiver ativa.

"Temos consciência que tal medida terá impacto nas contas da autarquia. Contudo, entendemos que situações de exceção merecem, sem dúvida, medidas de exceção", justifica o BE.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, infetou mais de 210 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.750 morreram.

O surto começou na China, em dezembro de 2019, e espalhou-se já por 170 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o número de casos confirmados de infeção para 642, mais 194 do que na terça-feira. O número de mortos no país subiu para dois.

A Assembleia da República aprovou hoje o decreto de declaração do estado de emergência que lhe foi submetido pelo Presidente da República com o objetivo de combater a pandemia de Covid-19, após a proposta ter recebido pareceres favoráveis do Conselho de Estado e do Governo.

ASR // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Infeção pelo vírus 'monkeypox' em Portugal pode ser um surto

Os casos de infeção pelo vírus 'monkeypox', avançados em primeira mão pelo Porto Canal, confirmados em Portugal podem constituir um surto, mas não está "para já" identificada qualquer ligação entre eles para além do local onde foram detetados, disse hoje a infeciologista Margarida Tavares.

EXCLUSIVO.

Vírus 'monkeypox' chega a Portugal. DGS confirma pelo menos cinco casos e 20 suspeitos

O vírus 'monkeypox', a varíola dos macacos, chegou a Portugal e já há pelo cinco casos confirmados. O Porto Canal sabe que os doentes são todos homens e a situação está ser acompanhada pelas autoridades de saúde para se perceber a ligação entre os casos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Festivais - Soam as guitarras