Info

Covid-19: "O país não pára" com declaração de estado de emergência - Costa

Covid-19: "O país não pára" com declaração de estado de emergência - Costa
governo.pt
| Política
Porto Canal com Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou hoje que "o país não pára", mesmo sob estado de emergência, e que o Governo tudo fará para que se mantenha a produção e distribuição de bens e serviços essenciais.

António Costa falava ao país após um Conselho de Ministros Extraordinário, na qual anunciou que o Governo deu parecer favorável à decisão do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, de decretar o estado de emergência.

"Para salvar vidas, é fundamental que a vida continue e tudo aquilo que são as cadeias de abastecimentos essenciais continue a ser assegurado, os serviços essenciais continuem a ser prestados, porque os nossos cidadãos, em particular os mais fragilizados, necessitam que toda a cadeia de bens e serviços essenciais continuem a funcionar", defendeu.

"O país não vai parar, nós temos de continuar, porque só continuando damos um combate eficaz a esta pandemia", afirmou.

Se a proposta de decreto presidencial for hoje aprovada pelo parlamento, o Conselho de Ministros voltará a reunir-se na quinta-feira para aprovar as medidas que lhe dão execução e o primeiro-ministro já solicitou ajuda técnica e científica para as desenhar.

"Hoje, no Ministério da Saúde, reuni com a ministra, secretários de Estado, Direção-Geral da Saúde, presidente do Instituto Nacional de Saúde, presidente do Conselho Nacional de Saúde Pública, a quem solicitei que, até ao final do dia de hoje, habilitassem o Governo com base técnica e científica o mais sólida possível e a recomendação de medidas ao Governo", informou.

Questionado como irá aplicar o decreto de estado de emergência, depois de ter dado a entender que este não era necessário, o primeiro-ministro assegurou que "o Governo cá está para dar execução" ao diploma, com o mesmo critério que tem aplicado até aqui.

"Fazermos tudo o que é necessário, nada mais do que é necessário, limitar ao mínimo a anormalidade da vida das pessoas e tudo fazer para salvar a vida das pessoas", disse.

António Costa deixou ainda um apelo aos portugueses: "Mantenham a serenidade, calma, confiança, é muito importante todos estarmos cientes que estamos perante uma pandemia que é um risco para a saúde de todos nós, mas há condições para a ultrapassarmos, sobretudo se todos agirmos com a serenidade e a calma que se impõem neste momento".

+ notícias: Política

Bloco de Esquerda diz que um "país que oferece rendas mais altas que os salários é um país sem futuro"

O Bloco de Esquerda, acompanhado pela Coordenadora Catarina Martins, esteve durante a manhã desta terça-feira na feira de Vila do Prado, em Vila Verde e, em declarações à comunicação social debateu muito os problemas que existem nos preços à habitação em Portugal, explicando que "um país que oferece rendas mais altas que os salários, é um país sem futuro".

PAN defende que "António Costa deveria estar pensar em rotas mais ecológicas para a TAP" 

À margem da entrevista que António Costa, Secretário-geral do PS, deu ao Porto Canal na passada segunda-feira, o PAN, representado pela porta-voz Inês Sousa Real, disse na manhã desta terça-feira, em campanha eleitoral pelo Porto, que "António Costa deveria estar a pensar em rotas mais ecológicas para a TAP" de modo a garantir "a sustentabilidade dos postos de trabalho".

Catarina Martins quer clareza do PS sobre "contrato à Esquerda"

Catarina Martins, Coordenadora do Bloco de Esquerda, disse na passada segunda-feira, em dia de campanha eleitoral, que quer clareza do PS sobre "contrato à Esquerda" que beneficie "a saúde e o trabalho em Portugal", explica a Coordenadora do BE em declarações feitas à margem de um encontro com o setor da Cultura no Coliseu do Porto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS