Info

Covid-19: Ajuda e solidariedade "são precisas na Europa" para proteger profissionais de saúde

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 16 mar 2020 (Lusa) -- A organização Médicos sem Fronteiras instou hoje os líderes europeus a demonstrarem "uma solidariedade além das fronteiras nacionais", frisando a "necessidade urgente" de fornecer meios de proteção aos profissionais de saúde envolvidos na luta contra a pandemia de Covid-19.

"À medida que o número de pessoas com Covid-19 [nome atribuído pela Organização Mundial Saúde à doença provocada pelo novo coronavírus] continua a aumentar rapidamente em muitos países da Europa - agora o epicentro da pandemia -- a Médicos Sem Fronteiras (MSF) insta os Estados-membros europeus a demonstrarem solidariedade além das suas fronteiras nacionais", indicou a organização não-governamental (ONG) num comunicado.

"Fornecimentos de equipamentos médicos essenciais, incluindo equipamentos de proteção individual a começar pelas máscaras para proteger as equipas de saúde, devem ser canalizados com urgência" para as zonas mais críticas e onde são mais precisos, reforçou a MSF.

A MSF focou o caso concreto de Itália, um dos países mais afetados pelo novo coronavírus, onde a organização começou a trabalhar em quatro hospitais na semana passada.

Segundo o relato da ONG, "a escassez de equipamentos de proteção individual é cada vez mais comum, deixando expostos os profissionais de saúde que estão na linha da frente".

"A escassez de equipamentos de proteção está a alimentar a epidemia e a dificultar a capacidade de salvar vidas", alertou a MSF, salientando que quase 1.700 profissionais de saúde, ou seja, 8% do total de casos de Covid-19 em Itália, foram infetados quando cuidavam de "um crescente número de pacientes graves que necessitam de hospitalização prolongada e de cuidados intensivos especializados".

Segundo Claudia Lodesani, presidente da MSF em Itália e líder das operações da organização no âmbito da pandemia naquele país, os profissionais de saúde estão sobrecarregados e a enfrentar uma "escassez dramática" de equipamentos de proteção.

"Alguns médicos são forçados a usar a mesma máscara de proteção durante 12 horas", afirmou a representante, prosseguindo: "Todos os dias estamos a receber novos pedidos de ajuda, de mais funcionários, de mais equipamentos".

E alertou: "Sem um influxo de equipamentos de proteção urgentemente necessários, mais e mais profissionais de saúde vão adoecer, reduzindo a disponibilidade de cuidados para os doentes, gerando novos grupos de casos e enfraquecendo de forma perigosa a luta contra a doença".

Ainda no mesmo comunicado, a MSF sustentou que os países da Europa não conseguirão enfrentar o surto de forma isolada.

"Neste momento de crise, nenhum país pode lidar ou produzir fornecimentos de que precisa sozinho. Os Estados-membros devem implementar urgentemente os mecanismos de solidariedade criados pela União Europeia (UE). Os recursos devem ser partilhados para combater a pandemia", defendeu a MSF, lembrando que neste momento é a Itália que "precisa urgentemente" deste apoio, mas que dentro de semanas outros países poderão debater-se com este cenário.

"Este vírus não respeita fronteiras e a solidariedade também deve ser alargada além delas", defendeu Brice de le Vingne, chefe das operações da MSF para a pandemia de Covid-19 em Bruxelas (Bélgica).

Ainda no comunicado, a organização lembrou que mantém preocupações acentuadas com os países onde os sistemas de saúde são frágeis e as populações vivem em situações de grande precariedade e vulnerabilidade.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou até à data cerca de 170 mil pessoas, das quais cerca de 6.500 morreram.

Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 75 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 140 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Portugal tem 331 casos confirmados.

 

SCA // ANP

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Jovens entre os 12 e os 18 anos estão impedidas de ir às aulas e professor pede ajuda internacional no Afeganistão

Quase quatro milhões de crianças, entre os 12 e os 18 anos, estão impedidas de ir à escola, no Afeganistão e, um professor pede ajuda internacional a pedir que instituições de todo o mundo possam dar-lhes aulas online para que consigam continuar a estudar.

Parlamento Europeu apela ao reforço das relações bilaterais com Taiwan

Bruxelas, 21 out 2021 (Lusa) - O Parlamento Europeu apelou hoje ao reforço das relações entre a União Europeia e Taiwan através de um possível acordo de investimento bilateral e manifestou "inquietação" sobre a beligerância militar "permanente" de Pequim em relação a Taipé.

Portugal desce para o oitavo lugar no ranking da FIFA

Zurique, Suíça, 21 out 2021 (Lusa) -- A seleção portuguesa de futebol desceu uma posição no ranking da FIFA e é agora oitava classificada, por troca com a Espanha, informou hoje o organismo máximo do futebol mundial.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.