Info

Covid-19: Presidente do Brasil deverá repetir exame ao novo vírus

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Brasília, 14 mar 2020 (Lusa) - O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, deverá ser submetido a mais um exame para deteção do novo coronavírus, após o teste que fez na quinta-feira ter dado negativo para infeção, segundo a imprensa local.

De acordo com o portal de notícias G1, a informação foi confirmada pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que recomendou a repetição do exame ao chefe de Estado.

O protocolo da Operação Regresso, que visou o repatriamento de 34 brasileiros que estavam em Wuhan, na China, por parte do Governo brasileiro, prevê que Bolsonaro passe por um novo exame dentro de sete dias. Durante esse período, deverá ficar em isolamento.

"Caso tenha sintomas, [o exame pode ser feito] a qualquer momento", salientou Mandetta.

Jair Bolsonaro, e membros do seu Governo que viajaram no passado fim de semana para os Estados Unidos da América (EUA), foram submetidos na quinta-feira a exames ao novo coronavírus, após o secretário especial de comunicação da Presidência, Fábio Wajngarten, testar positivo.

Contudo, na manhã de sexta-feira, o Presidente do Brasil anunciou, na rede social Twitter, que o seu teste ao Covid-19 deu negativo.

Após o anúncio de que não tinha sido infetado, o mandatário afirmou que a vida segue "normal".

"A vida segue normal, um grande desafio pela frente e muitos problemas para serem resolvidos", disse Bolsonaro a apoiantes, em frente ao Palácio da Alvorada, a sua residência oficial em Brasília.

Outros membros do executivo também foram submetidos ao exame, e testaram negativo, como é o caso dos ministros do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e de Minas e Energia, Bento Albuquerque, assim como a primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro e o deputado e filho do chefe de Estado brasileiro, Eduardo Bolsonaro.

O Brasil tem 98 casos confirmados do novo coronavírus e monitoriza 1.485 casos suspeitos, registando os primeiros casos de transmissão comunitária do vírus em São Paulo e no Rio de Janeiro, divulgou na sexta-feira o Ministério da Saúde.

A transmissão comunitária ocorre quando há uma maior difusão do vírus e as autoridades de saúde já não conseguem identificar a sua trajetória de infeção.

Até ao momento, o país sul-americano já descartou 1.344 possíveis casos de infeção pela Covid-19.

Face a este cenário, o Governo brasileiro emitiu na sexta-feira uma série de recomendações para evitar o avanço do novo coronavírus, entre elas, que viajantes internacionais que cheguem ao país fiquem em isolamento domiciliário durante sete dias, mesmo sem sintomas de Covid-19.

A recomendação geral é de cancelamento de "grandes eventos", sejam eles governamentais, desportivos, políticos, comerciais, religiosos, entre outros.

Diante das recomendações, a única determinação feita pelo Governo foi o adiamento de cruzeiros turísticos enquanto o período de emergência em saúde pública estiver em vigor.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.300 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 140 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.

MYMM // JMC

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Cientistas descobrem anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19

Uma equipa internacional de cientistas descobriu anticorpos que podem neutralizar as variantes da Covid-19, incluindo esta última variante Ómicron, um estudo que foi desenvolvido por cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA

Alta-Comissária da ONU para os Direitos Humanos pede "libertação imediata" do PR do Burkina Faso

Genebra, 25 jan 2022 (Lusa) - A Alta-Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, apelou hoje à "libertação imediata" do Presidente do Burkina Faso, Roch Marc Christian Kaboré, deposto por um golpe militar este fim de semana.

Polícia britânica está a investigar "festas" durante pandemia em Downing Street

Londres, 25 jan 2022 (Lusa) - A polícia britânica anunciou hoje que está a investigar as presumíveis festas organizadas em Downing Street durante os períodos de confinamento impostos no âmbito da pandemia, situação que está a colocar sob forte pressão o primeiro-ministro Boris Johnson.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.