Info

Covid-19: Governo determina suspensão da atividade de centros de apoio à deficiência

| País
Porto Canal com Lusa

Coimbra, 13 mar 2020 (Lusa) - O Governo determinou a suspensão dos centros de atividades ocupacionais (CAO), que apoiam adultos com deficiência, devido ao surto de Covid-19, informou fonte do Ministério da Segurança Social.

"Vai ser determinada a suspensão de atividades por parte dos CAO, apenas podendo estes assegurar, em caso de necessidade/carência económica de alguns utentes, o fornecimento de refeições", afirmou hoje fonte do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em resposta à agência Lusa.

Segundo a mesma fonte, a orientação já foi dada diretamente ao presidente da Confederação Nacional de Instituições de Solidariedade (CNIS) e "será transmitida ainda esta sexta-feira, pelo Instituto de Segurança Social, a todas as IPSS [instituições particulares de solidariedade social] da área da deficiência".

A resposta do ministério surgiu na sequência de críticas da presidente da Humanitas - Federação Portuguesa para a Deficiência Mental, Helena Albuquerque, que, em declarações à agência Lusa, tinha afirmado que as instituições com CAO estavam hoje ainda à espera de indicação da tutela sobre se deviam ou não fechar estes centros de apoio, utilizados durante o dia por adultos com deficiência, normalmente com os casos mais profundos.

Segundo Helena Albuquerque, hoje foi "um dia muito complicado" para todas as IPSS ligadas a esta população, que começam a ver "fecho de estruturas à sua volta", mas sem qualquer indicação ou orientação da tutela sobre o que fazer em relação aos CAO.

De acordo com a responsável da Humanitas, há alguns milhares de adultos com deficiência que frequentam os CAO, a nível nacional.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.300 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 140 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) atualizou hoje o número de infetados, que registou o maior aumento num dia (34), ao passar de 78 para 112, dos quais 107 estão internados.

A região Norte continua a ter o maior número de casos confirmados (53), seguida da Grande Lisboa, cujo registo duplicou para 46, enquanto as regiões Centro e do Algarve têm cada uma seis casos confirmados. Além destas há um caso assinalado pela DGS no estrangeiro.

JGA // SR

Lusa/Fim

+ notícias: País

Entradas e saídas na AML voltam a ser proibidas no fim de semana

A proibição de circulação para dentro ou para fora da Área Metropolitana de Lisboa (AML) mantém-se no próximo fim de semana, mas quem tenha um certificado digital ou um teste negativo à covid-19 pode passar, anunciou hoje o Governo.

Governo diz que "não existem condições para prosseguir o desconfinamento" 

A ministra da Presidência anunciou hoje que não existem condições para prosseguir o plano de desconfinamento em Portugal, tendo em conta que o país se encontra "claramente na zona vermelha" da matriz de risco de controlo da pandemia.

Portugal com duas mortes, 1.556 casos e menos internamentos por Covid-19

Portugal registou nas últimas 24 horas duas mortes associadas à covid-19, 1.556 novos casos de infeções confirmadas, a maioria em Lisboa e Vale do Tejo, uma diminuição nos internamentos em enfermaria e um aumento nos cuidados intensivos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.