Info

Covid-19: Companhia angolana TAAG suspende voos para o Porto

| Economia
Porto Canal com Lusa

Luanda, 13 mar 2020 (Lusa) -- A companhia aérea angolana TAAG vai suspender a partir de segunda-feira os voos com destino à cidade do Porto, devido ao aumento de contágio do novo coronavírus na região norte de Portugal, anunciou hoje a empresa.

A decisão da TAAG - Linha Aéreas de Angola SA é justificada por se ter "constatado um aumento de contágio do coronavírus na região norte de Portugal", segundo um comunicado hoje divulgado pela companhia.

Na nota, a TAAG adianta que os passageiros com bilhetes adquiridos de e para o Porto deverão contactar as lojas, o 'call-center' e agentes de viagens.

"Os restantes voos não ficam afetados por esta medida de precaução e as operações áreas decorrem sem sobressaltos", refere ainda.

Portugal tem 112 casos confirmados, dos quais 53 (o maior número) na região norte do país. A Grande Lisboa tem 46 registos de infeção por coronavírus, enquanto a região centro e o Algarve têm seis casos, cada.

Angola não tem nenhum caso registado de novo coronavírus, responsável pela Covid-19.

Dezassete países africanos têm registo da doença, dos quais 13 países da África Subsaariana, segundo os mais recentes dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.900 mortos em todo o mundo, levando a OMS a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 131 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.

JH // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Arranque da semana marcado com novo aumento dos combustíveis  

O arranque desta semana fica marcado com um novo aumento dos combustíveis, com a gasolina a aumentar um cêntimo e o gasóleo a rondar uma subida de dois cêntimos por litro. Com o pouco movimento que o Porto Canal verificou na manhã desta segunda-feira, os Portuenses optaram por abastecer o depósito no fim de semana.

Covid-19: Adesão a pagamento fracionado do IVA não exige quebra de faturação de 10%

As micro e pequenas empresas que pretendam aderir ao pagamento fracionado do IVA e retenções na fonte do IRS e IRC podem fazê-lo mesmo que não tenham registado uma quebra de faturação de 10%, segundo um despacho agora publicado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS