Info

Anterior diretor-geral da Energia "não tinha competências" para a função - ministro

| País
Porto Canal com Lusa

O ministro do Ambiente disse hoje que "dois ou três dias depois" de começar a trabalhar com o anterior diretor-geral da Energia e Geologia, Mário Guedes, "ficou evidente que ele não tinha competências" para aquela função.

"Dois ou três dias depois de começar a trabalhar com o diretor-geral, que não conhecíamos, ficou evidente que ele não tinha competências" para assumir aquelas funções, afirmou o ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, que falava na Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território, na Assembleia da República, numa audição a pedido de vários grupos parlamentares.

Em causa está o contrato de concessão de exploração de lítio no concelho de Montalegre, assinado entre o Governo e a Lusorecursos Portugal Lithium, que tem estado envolto em polémica.

O governante classificou como "inenarrável" a declaração de Mário Guedes de que "nunca assinaria aquele contrato de concessão [à Lusorecursos] sem haver estudo de impacte ambiental".

"Isso é completamente ilegal", considerou Matos Fernandes.

"Primeiro existe um contrato que diz que o estudo de impacte ambiental é da responsabilidade do proponente. (...) O divórcio existe para os casados e, portanto, eles têm de se casar primeiro e só depois é que se divorciam", esclareceu o ministro com a pasta do Ambiente.

Questionado sobre a razão pela qual o Governo não pediu uma avaliação de impacte ambiental estratégica, Matos Fernandes respondeu que "a lei não diz que tem de haver" um estudo desse género.

Em novembro de 2018, o secretário de Estado da Energia, João Galamba, afastou o então diretor-geral da Energia e Geologia, Mário Guedes, que tinha sido nomeado pelo seu antecessor, Jorge Seguro Sanches, substituindo-o por João Bernardo.

A audição conjunta do ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, e do secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba, surge na sequência de um requerimento do grupo parlamentar do PAN para a audição do ministro por causa dos contratos de concessão para a exploração de lítio em Montalegre, distrito de Vila Real, e também de um requerimento do PSD sobre a concessão da gestão de biorresíduos e as respetivas metas.

O interesse pelo lítio português despertou em 2016, ano em que deram entrada 30 novos pedidos de prospeção e pesquisa deste metal, impulsionado pelo aumento da procura global devido à utilização nas baterias do automóvel elétrico.

Desde então, várias associações ambientalistas, câmaras municipais e população já se pronunciaram contra a prospeção e exploração de lítio, com o Governo a defender, por outro lado, que aquele recurso é essencial para a transição energética.

Em Portugal, as seis principais ocorrências de lítio localizam-se na Serra de Arga (dividida pelos concelhos de Caminha, Ponte de Lima e Viana do Castelo), Covas do Barroso (Boticas), Barca d'Alva (Figueira de Castelo Rodrigo), Guarda, Mangualde e Segura (Idanha-a-Nova).

MPE (JE/PE) // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: País

Professores vão lecionar outras disciplinas para colmatar falha de docentes

Os professores vão passar a dar aulas de uma disciplina diferente da sua formação para colmatar a falta de professores nas escolas. A Fenprof critica a forma como o Governo pretende resolver o problema da falta de professores.

Operação Nariz Vermelho avançou para MP com base em queixas da atuação do Kastelo

A Operação Nariz Vermelho apresentou queixa no Ministério Público (MP) contra a Associação NoMeioDoNada por suspeita de negligência e maus tratos na Casa do Kastelo "após tomada de conhecimento de alegadas situações que caso sejam comprovadas são inaceitáveis".

Mais de 70 medicamentos inovadores aprovados em Portugal só no ano passado

Mais de 70 novos medicamentos foram aprovados no ano passado em Portugal pela Autoridade do Medicamento, que conseguiu reduzir em mais de 200 milhões de euros as condições propostas pelas farmacêuticas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Nota Alta

Ensino Musical Escolar: "Quando...

D'Mais

Na Cozinha - Pizza vegan