Info

Rui Rio anuncia recandidatura à liderança do PSD

Rui Rio anuncia recandidatura à liderança do PSD
| Política
Porto Canal com Lusa

O presidente do PSD, Rui Rio, anunciou hoje que é candidato nas próximas eleições internas, afirmando estar disponível para enfrentar as adversidades inerentes, mas não as deslealdades e boicotes internos.

"O que está em jogo é demasiado importante para que a minha decisão possa ser outra. Estou pois disponível para disputar as próximas eleições internas, liderar a oposição ao Governo do Partido Socialista e conduzir o PSD nas próximas eleições autárquicas", disse.

O anúncio foi feito ao final da tarde, no Porto, numa declaração em que líder social-democrata disse estar disponível "para lutar contras todas as adversidades inerentes ao exercício do cargo de líder da oposição", mas não para voltar a enfrentar "deslealdades e permanentes boicotes internos".

Desde a noite eleitoral de 06 de outubro, durante a qual disse que ia avaliar com "calma e ponderação" o seu futuro político, que Rio se mantinha em silêncio sobre uma eventual recandidatura à presidência do partido nas eleições diretas previstas para janeiro.

Em 09 de outubro, três dias depois das eleições, o antigo líder parlamentar Luís Montenegro anunciou que será candidato à presidência do PSD nas próximas diretas, e, na sexta-feira, foi a vez de Miguel Pinto Luz, antigo líder da distrital de Lisboa, anunciar que vai entrar na corrida.

As eleições diretas para eleger o próximo presidente do PSD deverão realizar-se em meados de janeiro e o Congresso na primeira ou segunda semana de fevereiro, mas as datas concretas serão fixadas num Conselho Nacional que deverá realizar-se em Bragança, na última semana de outubro ou primeira de novembro.

+ notícias: Política

Costa afasta "Bloco Central" e recusa aceitar incapacidade da esquerda para visão comum

O secretário-geral socialista garantiu hoje que vai manter o rumo político e não haverá "Bloco Central" PS/PSD, frisando que recusa aceitar que a esquerda seja incapaz de se entender sobre uma visão comum para o país.

Efacec: Marcelo quer nacionalização "quanto mais curta melhor"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou na sexta-feira que a nacionalização da Efacec não é para ser duradoura, defendendo que "quanto mais curta melhor".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.