Info

Moçambique: Terceiro partido parlamentar acusa Frelimo de levar o país para a guerra

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Beira, Moçambique, 18 out 2019 (Lusa) - O MDM, terceiro maior partido moçambicano, que rejeitou hoje os resultados das eleições gerais, acusou a Frelimo, no poder, de conduzir o país para uma nova "aventura de guerra" por supostamente ter orquestrado uma fraude no escrutínio.

"Que não nos levem convosco nas vossas aventuras e apetites de guerra, porque queremos contar amanhã aos nossos filhos os frutos da paz e não da miséria e roubo", disse hoje o secretário-geral do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), José Domingos.

Numa declaração à comunicação social em que anunciou a rejeição dos resultados das eleições gerais de dia 15, Domingos assinalou que o Acordo de Paz e Reconciliação Nacional assinado no dia 06 de agosto, em Maputo, é muito frágil e devia ser consolidado através de processos democráticos transparentes.

"O Acordo de Paz e Reconciliação é tão frágil que as ações para assegurar essa paz devem ter o envolvimento de todos, através do primado e respeito dos direitos humanos", acrescentou José Domingos.

Nesse sentido, os processos eleitorais devem ser conduzidos com transparência para que o país não resvale novamente para um conflito pós-eleitoral.

"Os moçambicanos têm vivido, ciclicamente, de eleição para eleição, confrontos militares, devido à má gestão dos processos eleitorais", afirmou.

O terceiro maior partido anunciou hoje que "não aceita os resultados" das eleições gerais de terça-feira, porque foram "fraudulentas" e as "mais violentas da história do país".

"O MDM não aceita os resultados que estão sendo publicados, por estes não refletirem a vontade dos moçambicanos. Nem em sociedades civilizadas se admite este tipo de eleição", afirmou o secretário-geral daquela formação.

PMA/JYJE // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Covid-19: Europa acelera desconfinamento

A Europa acelera hoje o desconfinamento pós-pandemia, com os países nórdicos a reabrir os bares e o Reino Unido, o segundo país do mundo com mais mortos, depois dos Estados Unidos, a reabrir as escolas primárias.

Milhares de malianos exigem demissão de Presidente do país

Bamako, 05 jun 2020 (Lusa) -- Dezenas de milhares de malianos manifestaram-se hoje na capital, Bamako, para pedir a demissão do Presidente do país, Ibrahim Boubacar Keita, criticando o que consideram ser a insegurança e injustiça social no território.

Covid-19: Responsável pela luta contra pandemia na Guiné-Bissau diz que é possível travar novo coronavírus

Bissau, 05 jun 2020 (Lusa) - A Alta Comissária para a Luta Contra a Covid-19 na Guiné-Bissau, Magda Robalo Correia e Silva, disse hoje que não vai ser fácil, mas afirmou que é possível travar a pandemia do novo coronavírus no país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.