Info

Autarca de Vila do Conde ausente de cerimónia com Ministra do Mar como forma de protesto

| Política
Porto Canal com Lusa

A Câmara de Vila do Conde anunciou esta segunda-feira que a presidente da autarquia não estará presente na assinatura da consignação da obra de dragagem da barra do Rio Ave, como protesto pela cerimónia não se realizar no concelho.

Atualizado 17-09-2019 11:45

O ato oficial, que acontece esta manhã e contará com a presença da Ministra do Mar, Ana Paulo Vitorino, vai realizar-se na cidade vizinha da Póvoa de Varzim, algo que a presidente da Câmara de Vila do Conde, a independente Elisa Ferraz, "estranha".

"Um ato de tão importante relevância para a segurança dos pescadores deste município e demais utilizadores só poderia ocorrer em Vila do Conde, num ato concertado entre o Ministério do Mar e a Câmara Municipal, intervenientes diretos neste processo", pode ler-se numa nota enviada por aquela autarquia do distrito do Porto.

No comunicado é lembrado que "a obra de dragagem só foi possível graças às negociações entre a Presidente da Câmara de Vila do Conde e a Ministra do Mar", vincando ter sido a autarquia "a lutar e sensibilizar o Ministério" para resolução da questão.

"Estranhamente, o convite [para a cerimónia] chegou à Câmara Municipal de Vila do Conde, endereçado pela Associação Pró Maior Segurança dos Homens do Mar, cuja sede se situa na Póvoa de Varzim, onde tal assinatura irá acontecer", acrescentou o comunicado da autarquia vila-condense.

No dia 05, o Ministério do Mar anunciou ter adjudicado a dragagem da barra do porto de Vila do Conde, devendo a empreitada arrancar ainda durante este mês.

Em comunicado, a tutela adiantou que a dragagem, que permitirá remover 25.000 metros cúbicos de sedimentos do leito do canal, deverá demorar cerca de duas semanas.

O investimento nesta obra é de 150 mil euros.

Segundo o Ministério, “a execução desta dragagem irá decorrer dentro da janela temporal adequada, ou seja, durante o período de condições meteorológicas favoráveis, permitindo que estejam restabelecidas as condições de segurança no porto de pesca no próximo inverno marítimo, período em que o estado do mar e os riscos na navegação são superiores”.

O local tem sofrido, frequentemente, com problemas de assoreamento, que condicionam a navegabilidade do canal, na foz do rio Ave.

+ notícias: Política

António Saraiva afirma que provavelmente não vai ser possível aumentar o salário mínimo nos valores da legislatura anterior

António Saraiva, presidente do Conselho Geral e da Direção da CIP, afirma que se os valores do crescimento continuarem iguais ao da legislatura anterior "provavelmente não é possível" aumentar o salário mínimo.

Vila Real e Bragança são dos distritos com mais eleitores 'fantasma'

Há mais 796 mil eleitores em Portugal do que pessoas habilitadas a votar e é em Vila Real, nos Açores e em Bragança que há mais eleitores quase fantasma. A emigração pode ser uma das razões.

António Saraiva defende acordo na Concertação Social para aumentar competitividade e melhorar salários

António Saraiva, presidente do Conselho Geral e da Direção da CIP, defende um acordo na Concertação Social para aumentar competitividade e melhorar salários mas "não em aumentos abruptos que algumas empresas mais frágeis não suportem".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.