Info

Investimento público dos municípios do Norte aumentou 42,4% em 2017

Investimento público dos municípios do Norte aumentou 42,4% em 2017
| Economia
Porto Canal com Lusa

O investimento público dos municípios da região do Norte aumentou 42,4% em 2017, quando comparado com o ano anterior, invertendo a tendência de “forte queda” entre 2013 e 2016, revela o relatório Norte Estrutura hoje divulgado.

“Após a tendência de queda que marcou o período de 2013 a 2016, o investimento público dos municípios da região do Norte voltou a subir no período mais recente, aumentando 42,4% em 2017”, descreve o documento elaborado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).

Ainda assim, a “dimensão financeira” do investimento público dos municípios “ainda é reduzida”, já que, “em termos médios” o investimento público “representou entre 2010 e 2017 apenas 0,96% do PIB [Produto Interno Bruto] da região”.

O valor é considerado “manifestamente diminuto”, atendendo ao seu potencial impacto “no crescimento económico e nos processos de convergência real dos territórios”.

De acordo com o relatório, o contributo do valor agregado da despesa pública foi, em 2017, de 3% no Cávado e de 2,9% na Área Metropolitana do Porto, ao passo que a média da região ficou nos 3,9%.

“Noutros casos, sobretudo em territórios de baixa densidade, a despesa pública em percentagem do PIB atinge valores mais elevados, ultrapassando em 2017 a fasquia dos 8% no Alto Tâmega e em Trás-os-Montes”, assinala o documento.

Nas diversas zonas do Norte, o investimento público dos municípios “teve uma importância económica superior nos territórios de baixa densidade, sobretudo no período de recessão económica”.

Os “crescimentos mais expressivos” aconteceram no Cávado (90,3%), Terras de Trás-os-Montes (72,9%) e Alto Tâmega (64,5%),

Segundo a CCDR-N, “a aquisição de bens e serviços” foi a “maior componente da despesa pública” dos municípios da região em 2017, “representando cerca de 27,5% do total”.

“A rubrica das despesas com pessoal assumiu um peso praticamente idêntico, representando 27,4% da despesa total”.

A aquisição de bens de capital, “vulgarmente denominada de investimento público”, representava 18,7% do total das despesas dos municípios em estudo.

A CCDR-N regista que esta rubrica “tem vindo a apresentar alguma instabilidade” devido, “em parte, ao ciclo da execução dos fundos estruturais e ao ciclo dos mandatos autárquicos”.

Na “Análise às Finanças dos Municípios”, a CCDR-N concluiu que “a recuperação do investimento em 2017 verificou-se na grande maioria dos municípios da região”, pelo que não constitui “um fenómeno territorialmente concentrado”.

Para a análise apresentada, a CCDR-N usou como fonte os “mapas de controlo orçamental da receita e da despesa para os anos de 2010 a 2017 (prestação de contas)”, obtida a 01 de novembro de 2018 junto do Sistema Integrado de Informação das Autarquias Locais (SIIAL), da responsabilidade da Direção Geral das Autarquias Locais (DGAL).

A informação foi revista 29 de novembro de 2018 pela Direção de Serviços de Apoio Jurídico e à Administração Local (DSAJAL) da CCDR-N.

Com cerca de 3,6 milhões de habitantes, a região Norte concentra quase 35% da população residente em Portugal, assegura perto de 39% das exportações nacionais e representa cerca de 29% do PIB da economia nacional.

Em termos administrativos, o Norte é composto por 86 municípios e 1.426 freguesias.

+ notícias: Economia

Governo diz que distribuição de combustível deverá ultrapassar serviços mínimos

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, garantiu hoje que a situação de distribuição de combustível está "na normalidade", devendo os serviços mínimos ser ultrapassados hoje, quarto dia de cumprimento da greve dos motoristas de matérias perigosas.

Antram defende que incumprir serviços mínimos e requisição civil prejudica a economia

O porta-voz da associação das empresas de transportes de mercadorias (Antram) considerou que o apelo esta quarta-feira lançado pelo sindicato dos motoristas de matérias perigosas para que ninguém trabalhe vai prejudicar gravemente a economia.

Greve dos motoristas está a causar prejuízos de dezenas de milhares de euros por dia para empresas

O presidente do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Francisco São Bento, disse esta terça-feira que as empresas de transporte de combustíveis estão a ter prejuízo de dezenas de milhares de euros por cada dia de greve.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.