Info

Polícia Judiciária detém cidadãos estrangeiros para extradição

Polícia Judiciária detém cidadãos estrangeiros para extradição
| País
Porto Canal com Lusa

A Polícia Judiciária (PJ) informou este sábado que deteve dois cidadãos portugueses, quatro alemães, um romeno e um paquistanês, no cumprimento de mandados de detenção europeus, e que os mesmos se encontram em prisão preventiva a aguardar extradição.

A PJ, através da Unidade de Informação de Investigação Criminal, "desencadeou diferentes operações nas zonas de Lisboa, Porto, Setúbal, Odemira e Beja, com o objetivo de dar cumprimento a mandados de detenção europeus pendentes contra dois cidadãos portugueses, quatro alemães, um romeno e um paquistanês", refere a PJ em comunicado.

Os detidos, com idades entre os 22 e 63 anos, foram presentes aos Tribunais da Relação e estão em prisão preventiva a aguardar desenvolvimentos do processo de extradição até serem entregues às autoridades requerentes, esclarece a Polícia Judiciária.

A PJ adianta ainda na mesma nota que "as detenções resultaram da aplicação dos mecanismos de cooperação policial internacional".

+ notícias: País

Crianças são as mais afetadas pela pobreza em Portugal e há cerca de 330 mil em risco

Cerca de 330 mil crianças estão em risco de pobreza em Portugal, sendo que o grupo etário até aos 18 anos é o mais afetado, o que significa que há mais crianças pobres do que adultos ou idosos.

Dezanove pessoas morreram nas praias portuguesas durante a época balnear 2019

Dezanove pessoas morreram nas praias portuguesas durante a época balnear, que terminou na segunda-feira, na qual foram registados 502 salvamentos e 786 ações de primeiros socorros, divulgou hoje a Autoridade Marítima Nacional.

200 enfermeiros vão ter que devolver aumentos salariais

Cerca de 200 enfermeiros estão a ser chamados pelos hospitais para devolver os supostos aumentos salariais resultantes do descongelamento das progressões das carreiras. O sindicato defende que se trata apenas de ajustamentos na tabela e ameaçam levar o caso a tribunal.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.