Info

PJ detém 5.º elemento de grupo associado a roubo, sequestro e incêndio

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Porto, 15 mai (Lusa) -- A Polícia Judiciária (PJ) do Norte anunciou hoje a detenção do quinto elemento de um grupo alegadamente responsável por crimes de roubo agravado, sequestro, incêndio e detenção de armas proibidas.

Em comunicado de imprensa, a PJ informa que o "grupo criminoso", constituído pelo agora detido e por quatro outras pessoas, que estão em prisão preventiva desde março transato, abordava as vítimas do sexo masculino, quando estas se deslocavam para as suas viaturas estacionadas junto a estações de caminho-de-ferro na zona norte.

As vítimas eram agredidas, roubadas de todos os bens e valores que possuíam e eram transportadas, por largos períodos de tempo, nas bagageiras das viaturas dos agressores, acrescenta a nota de imprensa da Judiciária.

"Após [os agressores] obrigarem a revelar os códigos dos cartões bancários e de efetuarem levantamentos de caixas Multibanco, as vítimas eram abandonadas em locais despovoados, o que as obrigava a caminhar, por largos períodos de tempo até poderem ser socorridas", explica a PJ, na nota de imprensa.

O quinto indivíduo, de 24 anos e agora detido, é também suspeito do crime de tráfico de droga, tendo as diligências da PJ permitido "apreender uma quantidade significativa de estupefaciente" e objetos que indiciam a prática, por este arguido, do crime de tráfico de estupefacientes".

CCM // JGJ

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Reportagem: 99 anos de Coelima: que futuro?

99 anos de Coelima: que futuro?

Metro do Porto reduz operação na noite de São João devido às limitações impostas pela pandemia de covid-19

A Metro do Porto revelou hoje que a operação na noite de São João, de quarta para quinta-feira, será reduzida e que, devido às limitações impostas pela pandemia de covid-19, não haverá reforço de horários como em anos anteriores.

Diretor do Parque Natural do Tua diz que as Comunidades Intermunicipais "rebentaram" com a identidade territorial das regiões

O diretor do Parque Natural Regional do Vale do Tua, Artur Cascarejo, considerou hoje que a criação das Comunidade Intermunicipais (CIM) foi um processo "irracional" que "rebentou" com a identidade territorial das regiões.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.