Explosão em Penacova levou 30 doentes a Coimbra, um operado e em estado grave

| País
Porto Canal com Lusa

Coimbra, 04 abr (Lusa) -- Uma das pessoas que hoje ficou ferida na sequência da explosão num recinto de festas em Penacova estava a ser operada às 17:30 na Ortopedia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) e mantém-se em estado grave.

Fonte desta estrutura hospitalar disse à agência Lusa que deram entrada no Serviço de Urgências do CHUC 30 doentes, provenientes de Gondelim, aldeia do concelho de Penacova onde hoje uma explosão pirotécnica provocou um morto.

Destes, 21 estão nos Hospitais da Universidade de Coimbra, três já tiveram alta, cinco crianças foram assistidas no Hospital Pediátrico e um encontra-se no Hospital Geral.

"Destes 21 doentes que estão nos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC), um está em estado grave e a ser operado neste momento pela ortopedia; outro doente encontra-se ainda na sala de emergência, ventilado e estável e irá ser transferido para a Unidade de Queimados", explicou a fonte.

As cinco crianças assistidas no Hospital Pediátrico têm idades entre os 5 e os 16 anos (três do sexo masculino e dois do feminino) e devem ter alta ainda hoje, esclareceu a fonte.

SSS // MCL

Lusa/fim

+ notícias: País

Sindicato dos Pilotos da Aviação acusa a TAP de "milhões de erros" 

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil acusa a TAP de desperdiçar as receitas do verão com milhões de erros ao longo ano. Entre os principais problemas apontados pela estrutura está a contratação externa de serviços a várias companhias áreas, num valor superior a 200 milhões de euros.

Vida e obra de Luís Ferreira Alves: o pioneiro na fotografia de arquitetura em Portugal

Luís Ferreira Alves, pioneiro na fotografia de arquitetura em Portugal, impulsionou a evolução desta arte desde a década de 80, acarinhado e reconhecido no meio, morreu em Julho aos 84 anos.

Produtores sem alimentos para os animais depois dos incêndios destruírem as pastagens 

Vários produtores estão sem alimentos para os animais devido aos incêndios que destruiram as pastagens. A Confederação dos Agricultores de Portugal está a realizar uma campanha de recolha de alimentos. 

Só em Murça já foram entregues 20 toneladas de palha e feno.