PSD de Viana critica inauguração de Centro de Remo sem convite ao Governo

| Desporto
Porto Canal / Agências

Viana do Castelo, 06 jun (Lusa) - O Centro de Remo de Viana do Castelo, um equipamento que custou 1,7 milhões de euros, abre portas no sábado, anunciou hoje a Câmara, perante críticas do PSD, devido à falta de um convite ao Governo.

Segundo informação da autarquia, este Centro de Remo, situado junto ao rio Lima, é inaugurado no sábado, numa sessão que será presidida pelo presidente da Câmara, José Maria Costa (PS), contando "com a presença de atletas, dirigentes e populares" e integrando ainda demonstrações daquela modalidade, "com grande tradição em Viana do Castelo".

Pouco depois de divulgada esta inauguração, a concelhia de Viana do Castelo do PSD, em comunicado enviado à agência Lusa, criticou a "falta de sentido de Estado e de postura institucional" do autarca socialista.

"Pela segunda vez, o senhor presidente agenda uma inauguração no nosso concelho e não se digna a convidar o Governo de Portugal. Recorde-se que foi este Governo e este primeiro-ministro que desbloqueou os pedidos de financiamento dos investimentos nas infraestruturas relacionadas com o mar e os desportos náuticos em Viana do Castelo", lê-se.

A concelhia do PSD acrescenta que "tem de existir isenção política no desempenho das funções de presidente de Câmara"

Quanto ao novo equipamento, cujo investimento de 1,7 milhões de euros permitiu requalificar e ampliar a antiga "fábrica das boinas", no parque da cidade, disponibilizará "excelentes condições e instalações adequadas" para 75 atletas de remo, sublinha fonte municipal.

Integra pavilhões, áreas administrativas e balneários, além de uma sala de exposição dos troféus dos clubes que vão utilizar o espaço.

Trata-se de um dos três equipamentos dedicados aos desportos náuticos, casos ainda da vela e da canoagem, que representam mais de cinco milhões de euros de investimento, no âmbito do projeto Centro de Mar de Viana do Castelo, em concretização com recurso a fundos comunitários.

O Centro de Remo, sublinha o município, pretende transformar Viana do Castelo numa "verdadeira região atlântica", possibilitando a "criação de uma marca distintiva" ligada à costa, apostando na náutica de recreio articulada em rede com atividades como construção e reparação de embarcações de recreio, turismo náutico e a valorização de elementos patrimoniais e ambientais.

Paralelamente à obra no Centro de Remo, está em fase de conclusão a construção do Centro de Vela, com um orçamento base de 1,9 milhões de euros, e do equipamento destinado à Canoagem, na margem esquerda do rio Lima, por 1,5 milhões de euros.

Há poucas semanas, abriu portas o Centro de Alto Rendimento de Surf, que representou um investimento rondando um milhão de euros.

PYJ // PA

Lusa/fim

+ notícias: Desporto

Aliciamento de jogadores pelo Benfica. Uma teia que se vai adensando

Edgar Costa, atleta da equipa do Marítimo, denunciou em junho de 2019, à procuradora Andrea Marques, a tentativa de suborno do empresário Miguel Pinho, a alguns jogadores verde-rubros para que jogassem mal e perdessem contra os encarnados, num jogo relativo à época 2015/2016. Um processo no âmbito do qual a SAD do clube da Luz e os membros do Conselho de Administração foram constituídos arguidos. Contudo, este não é caso único e, ao longo dos últimos anos, as sucessivas denúncias de corrupção, de aliciamento e de práticas duvidosas têm colocado em sobressalto o universo benfiquista. 

Protagonistas da confusão no túnel da Luz alvo de processo disciplinar

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) comunicou, esta sexta-feira, que Hugo Viana, diretor desportivo do Sporting, e Paulo Magalhães, responsável pela empresa de segurança do Estádio da Luz, foram alvo de um processo disciplinar. Em causa estão as confusões que envolveram os dois protagonistas no túnel do Estádio da Luz após o dérbi.

FC Porto (Voleibol): Equipa “tem de dar o máximo” e jogar “com a maior garra possível”, diz Victória Alves

Numa fase em que a densidade competitiva não abona a favor da AJM/FC Porto, as portistas têm uma jornada dupla agendada para este fim de semana. Na deslocação ao reduto do Vilacondense, de sábado (15h00), Victória Alves afirmou que a equipa “tem de dar o máximo” e jogar “com a maior garra possível” para ter mais força “para vencer no domingo”, na receção ao Leixões (16h00, Porto Canal/FC Porto TV). Contra as matosinhenses, é preciso “jogar à Porto” e “trabalhar bem” para sair por cima numa “grande rivalidade entre duas equipas que estão sempre a lutar pelo título”.