Info

Matadouro na lista de imóveis que Câmara do Porto quer alientar por 21,4 ME

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Porto, 05 dez (Lusa) -- A Câmara do Porto quer vender em 2014 vários imóveis por 21,4 milhões de euros, incluindo na lista o ex-matadouro onde o presidente Rui Moreira quer instalar o Pólo de Apoio a Pequenas e Médias Empresas do Porto.

Da "listagem dos imóveis a alienar" incluída no orçamento para 2014 a que a Lusa teve hoje acesso faz ainda parte o Palacete Pinto Leite, na rua da Maternidade, com o valor de 2,5 milhões de euros.

Na reunião de Câmara de terça-feira, a Câmara vai votar já a venda em hasta pública, por pelo menos 1,050 milhões de euros, dos prédios doados em junho à empresa municipal Porto Lazer para pagar o projeto do Palácio de Cristal.

Com a venda em hasta pública dos dois prédios transferidos para a Porto Lazer, situados nas ruas do Clube Fluvial Portuense e rua de S. João e com uma área global de 294 metros quadrados, a autarquia espera angariar pelo menos um milhão e cinquenta mil euros, escreve-se num dos documentos.

Na proposta, o presidente da autarquia, Rui Moreira, justifica a mudança de planos com o facto da Câmara do Porto ter tomado "conhecimento da existência de eventuais interessados na aquisição dos imóveis" que deviam passar para as mãos da empresa municipal.

Para o autarca, a localização dos mesmos, no centro histórico da cidade, "constitui motivo de atratividade ao desenvolvimento de projetos de investimento que, a concretizarem-se, se afiguram de relevante interesse municipal".

Em junho, quando decidiu abandonar o modelo de reabilitação e exploração do Palácio de Cristal, a Câmara aprovou a "aquisição à Porto Lazer do projeto de reabilitação elaborado pelo arquiteto José Carlos Loureiro" por pouco mais um milhão e cinquenta mil euros, determinando que o pagamento seria feito através da doação de imóveis municipais.

O novo presidente decidiu agora alienar os prédios, mas alerta que "a substituição dos imóveis a transmitir à Porto Lazer" será indicada "através de proposta a submeter oportunamente à aprovação dos órgãos competentes".

A Câmara do Porto vai assim leiloar, em data a determinar, os prédios situados na Rua do Clube Fluvial Portuense, n.º 1 a 11 e Rua de S. João, n.º 38 a 40, "composto por uma casa de sete pavimentos, com a área global de 182 m2", bem como na Rua do Clube Fluvial Portuense, n.º 13/17 e Rua de S. João, n.º 42, também "composto por uma casa de sete pavimentos, com a área global de 112 m2".

Quanto ao Matadouro, numa nota de imprensa divulgada na terça-feira, a autarquia indicava o equipamento como um dos "projetos relevantes e estratégicos que não serão descurados pela autarquia" que não tinha impacto no orçamento para 2014, por se ter a expectativa de os resolver "com o estabelecimento de parcerias adequadas e com recurso, designadamente, a financiamento comunitário".

Durante o ano de 2014, a expectativa da autarquia é angariar 9,9 milhões de euros com a venda de terrenos e 11,4 milhões com a alienação de edifícios, descreve-se num anexo aos documentos de gestão previsional do município para 2014, intitulado "Listagem dos imóveis a alienar".

Os terrenos situam-se no Campo Alegre, rua Mota Pinto e Joaquim Leitão, rua de Alfredo Ferreira Faria, rua Cidade do Mindelo, Largo da Saudade, no gaveto da rua do Bom Sucesso com a rua da Piedade, e na Avenida Cidade Xangai.

Quanto aos edifícios, para além dos já referidos, fazem parte da lista imóveis na Calçada da Boa Viagem, na rua da Reboleira e Muro dos Bacalhoeiros, rua de Trás e rua dos Caldeireiros, Escadas dos Guindais e na rua Bartolomeu Velho e rua Viana de Lima.

ACG // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Incêndio Florestal em Vale de Cambra mobiliza 154 operacionais e dois aviões

Um incêndio florestal em Arões, no concelho de Vale de Cambra, está esta tarde a ser combatido por 154 homens e dois meios aéreos, revelou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Aveiro.

Trabalhadores de limpeza hospitalar do São João em greve por melhores condições de segurança, de saúde e fim da discriminação 

Os trabalhadores de limpeza do hospitalar do São João encontram-se em greve durante a manhã desta sexta-feira, frente ao Hospital São João, exigindo melhores condições de segurança, de saúde e fim da discriminação entre os trabalhadores de limpeza e trabalhadores do hospital. Em declarações ao Porto Canal, Eduardo Teixeira, Coordenador Regional do Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Atividades Diversas do Porto (STAD), afirmou, em declarações ao Porto Canal, que "estes trabalhadores das limpezas merecem respeito".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.