"Fiquei impressionada com seu otimismo" - organizadora do congresso fundador do PS na Alemanha

| País
Porto Canal com Lusa

Berlim, 08 jan (Lusa) - A responsável pela organização do congresso fundador do Partido Socialista na Alemanha recordou hoje o estado de espírito otimista do antigo chefe de Estado Mário Soares durante os dias da reunião, em abril de 1973.

"Mário Soares impressionou-me pelo seu otimismo, pelo seu ânimo e pelas suas ideias sobre um Portugal livre", lembrou Elke Sabiel, antiga funcionária da Fundação Friedrich Ebert (FES), que apoiou a realização do congresso fundador do PS na cidade alemã de Bad Münstereifel.

Já antes do congresso na Alemanha, a FES financiava a Ação Socialista Portuguesa (ASP), uma associação política sem natureza partidária, fundada em 1964, em Genebra, por Mário Soares, Manuel Tito de Morais e Francisco Ramos da Costa, dando origem ao atual PS.

Quando a ASP começou a considerar a possibilidade da sua passagem a partido, a fundação, ligada ao SPD, Partido Social Democrático alemão, financiou os custos de viagens e instalações em Bad Münstereifel.

"Tanto eu como a FES, mas também o SPD e Willy Brandt, estávamos convencidos de que Mário Soares assumiria no futuro uma posição importante num Portugal livre", disse a alemã.

 Sabiel disse que, durante o congresso clandestino na Alemanha, que teve a participação de 27 pessoas, "Mário Soares estava consciente da sua responsabilidade".

"A atmosfera era excelente porque os participantes eram, de facto, um grupo homogéneo, aceitando Mário Soares e as suas propostas", disse Elke Sabiel à agência Lusa.

Os 27 participantes chegaram não só de Lisboa, mas de países como a Bélgica, França, Inglaterra, Itália, Suécia, Suíça e de diferentes cidades da República Federal da Alemã.

O congresso decorreu durante a semana santa, de 16 a 21 de abril de 1973, e a votação para a transição da ASP a PS decorreu a 19 de abril, com 20 votos a favor e sete contra o documento.

"A transformação da ASP em PS foi importante, não só para Portugal, mas também para a família social-democrata e para a Europa", disse Sabiel, acrescentando que "até hoje, a FES e o SPD, estão ao lado do PS - não para seu próprio interesse, mas para interesse da família social-democrata, para continuar uma Europa democrática".

Mário Soares morreu no sábado, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado há 26 dias, desde 13 de dezembro.

O Governo decretou três dias de luto nacional, a partir de segunda-feira.

Soares desempenhou os mais altos cargos no país e a sua vida confunde-se com a própria história da democracia portuguesa: combateu a ditadura, foi fundador do PS e Presidente da República.

Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do PS, e ministro dos Negócios Estrangeiros após a revolução do 25 de Abril de 1974.

Primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, foi Soares a pedir a adesão à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e a assinar o respetivo tratado, em 1985. Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.

SYRO // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: País

INEM anuncia reforço de ambulâncias. Técnicos desconfiam

O INEM anunciou, este domingo, um reforço do dispositivo de emergência para esta época de outono/inverno com mais 37 meios com recurso a ambulâncias da Cruz Vermelha e de corporações de bombeiros de diferentes pontos do país. O Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospital afirma que este anúncio é apenas uma "estratégia de marketing do INEM", uma vez que os meios anunciados são os já existentes.

Alto Comissariado para as Migrações procura solução para timorenses despejados por circo em Matosinhos

Nove timorenses acusam o circo Soledad Cardinali, instalado em Matosinhos, de exploração laboral. Os trabalhadores imigrantes foram despejados ao início da tarde deste domingo e aguardam agora uma solução de alojamento.

Matosinhos: Nove trabalhadores imigrantes acusam circo de exploração laboral. Organização nega

Nove trabalhadores naturais de Timor-Leste acusam o circo Soledad Cardinali, instalado em Matosinhos, de não dispor de condições de acolhimento dignas e de não pagar salários. Os funcionários chamaram a Polícia de Segurança Publica (PSP) ao início da tarde deste domingo e apresentaram queixa.