APAVT compensa viajantes após greve de trabalhadores

APAVT compensa viajantes após greve de trabalhadores
| País
Porto Canal (AYF)

O clientes prejudicados pela greve de 27 de agosto dos trabalhadores que fazem a segurança dos aeroportos, vão ser compensados pela Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT).

A APAVT explicou em comunicado, que a compensação que será levada a cabo representa, um elevadíssimo montante global, na ordem do meio milhão de euros. Por essa razão, será feita a partir da emissão de vales, com o nome dos clientes prejudicados, no montante que não usaram e passaram agora a poder utilizar, no prazo de um ano, "única e exclusivamente nas agências de viagens onde originalmente adquiriram os respetivos serviços".

Pedro Costa Ferreira, presidente da APAVT, admite a necessidade de manter a credibilidade do setor e defender os interesses dos viajantes, apesar de não ser legalmente exigível, reconhecendo o "elevado sentido de responsabilidade" dos operadores turísticos que a integram e que a acompanharam nesta solução.

Fonte da ANA - Aeroportos de Portugal disse à Lusa que sobretudo o aeroporto de Lisboa ficou paralisado.

+ notícias: País

Descentralização na ação social aprovada com reforço de 35 milhões de euros. Prazo limite adiado para 3 de abril

A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e o Governo chegaram, esta terça-feira, a acordo no processo de descentralização de competências para a área da Ação Social, após o Governo ter anunciado um aumento da verba anual a transferir para as autarquias de 56,1 milhões de euros para 90,8 milhões.

Ministério da Defesa Nacional. É tempo de esperar "serenamente", vinca Marcelo sobre investigações

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou que se deve aguardar o resultado da investigação que envolve o Ministério da Defesa Nacional "serenamente, sem formular juízos prévios".

Diretor da PSP convicto de que “não há racismo estrutural” na PSP

O diretor nacional da Polícia de Segurança Pública manifestou-se, esta terça-feira, convicto de que “não há racismo estrutural” na PSP, considerando que a esmagadora maioria dos polícias “não é racista, nem extremista”.