21 de maio

Para onde devo ir

SS 16/19 (Powerstage) - Fafe

SS 16/19 (Powerstage) - Fafe

21.05.2017 | 11,18 | 09:08 - 12:18

SS 17 - Luílhas

SS 17 - Luílhas

21.05.2017 | 11,19 | 09:30

SS 18 - Montim

SS 18 - Montim

21.05.2017 | 8,66 | 10:20

  • FAFE
  • MATOSINHOS

O último dia do Rally de Portugal trás de volta provas lendárias como a Lameirinha. A prova inicia em Fafe, onde se realizará a Powerstage. O dia termina com a cerimónia de pódio na Exponor em matosinhos.

Fafe

Fafe, localizada entre as margens dos Rios Ferro e Vizela, é conhecida pelo seu património, gastronomia e paisagens naturais. No artesanato, destaca-se pela utilização da palha, madeira, arame, linho, lã que resultam em sublimes trabalhos de cestaria, bordados regionais, cantaria, olaria e ferro forjado.

Muito do seu património arquitectónico tem traçado brasileiro, facto devido à forte corrente emigratória ocorrida nos finais do século XIX. Muitos dos habitantes rumaram ao Brasil em busca de melhores oportunidades de vida, quando regressaram, alguns deles endinheirados, decidiram investir na cidade, construindo luxuosos palacetes à semelhança dos que tinham visto no Brasil.

Curiosamente, esta influência deu origem à expressão "a Fafe dos brasileiros", presente em inúmeras praças e jardins públicos, como o Jardim do Calvário, a Casa da Cultura, Casa do Santo Velho e Novo, entre outros.

A vertente rural e tradicional está bem presente na paisagem montanhosa e em algumas aldeias turísticas. Os momentos de lazer fazem parte da rotina diária do concelho havendo uma grande multiplicidade de trilhos pedestres, de BTT e parques que convidam a um piquenique ou a um passeio relaxante.

Na Barragem de Queimadela tem uma praia fluvial onde se nadar e até practicar desportos náuticos. Se preferir descobrir a história do concelho, dentro de portas, existem alguns museus que mostram a evolução territorial e social desde os seus primórdios até aos dias de hoje.

O que comer

Nos doces regionais são mais tradicionais o pão-de-ló, doces de gema, cavacas e a afamada Sopa Dourada. "à moda de Fafe".

Na mesa fafense destaca-se a vitela assada à Moda de Fafe, o cabrito e anho assado, o bacalhau à músico e o arroz Pica-no-chão.

O que ver

  •  
  •  

Central Hidroeléctrica de Santa Rita: inaugurada em 1914, foi um elemento simbólico de evolução social e económica da região. Hoje em dia, funciona também como museu explicando aos seus visitantes o processo dinâmico e pormenores históricos desde a sua construção até aos dias hoje.

Teatro Cinema: é um dos edifícios que mais se destaca arquitectonicamente pela sua beleza e pela unicidade da sua fachada - pintada de rosa com desenhos de cupidos alados, a declararem o seu amor pelas artes.

Casa do Santo Novo: ou Casa da Cultura, é um edifício esteticamente deslumbrante, assente em grossas paredes revestidas de azulejaria. Na entrada, sobressai um cuidado jardim e um sumptuoso portão. Este complexo alberga o Museu das Migrações e das Comunidades e o Museu da Imprensa.

Arquivo Municipal: este edifício surgiu da ampliação de um palacete dos inícios do século XX, testemunho das marcas brasileiras na arquitectura de Fafe. Está aberto ao público para consulta de arquivos e contém o espólio da Câmara Municipal.

Ruínas do Castro de Santo Ovídio: conjunto de ruínas arqueológicas, que se estima terem mais de 2 mil anos e que contam a história do Povoado Castrejo. Há mais de 30 anos que foi considerado Imóvel de Interesse Público

Igreja de S. Romão de Arões: templo de estilo românico, com alguns pormenores góticos, datada do século XII, dedicada a S. Romão. Nela distingue-se o arco triunfal de arquivoltas quebradas e capitéis ornamentados com detalhes românicos.

O que fazer

  •  
  •  

Parque da Cidade: zona de lazer verde que contém um anfiteatro disponível para eventos ao ar livre, uma via de cicloturismo, um bar e ainda um parque infantil.

Museu das Migrações e da Comunidade: local que aprofunda a história dos portugueses que partiram para outros países em busca de melhores condições de vida e as consequências disso, como o despovoamento e as medidas legislativas implantadas que proibiam a emigração sem licença régia. Abrange os séculos XIX e XX.

Museu da Imprensa de Fafe: agrega os equipamentos e máquinas envolvidos no processo de impressão dos jornais, mais precisamente de dois jornais locais. Integra ainda uma colecção de gravuras utilizadas na impressão, um prelo de 1885 e máquinas recentes, mostrando a evolução das técnicas ao longo dos tempos.

Barragem de Queimadela: abrange uma área de 11 hectares onde pode desfrutar da praia fluvial, practicar desportos náuticos (não poluentes), pescar, fazer um piquenique ou uma caminhada - existem percursos pedestres de pequena rota. Nas imediações tem ainda um parque de campismo e de caravanismo.