INÍCIO

40 ANOS DEPOIS | “Cada livro queimado ilumina o mundo”

“Cada livro queimado ilumina o mundo”

De 1933 até 1974 o Estado Novo utilizou a Censura como meio para condicionar a liberdade de expressão do país. O decreto 22.469 referia a necessidade de “impedir a perversão da opinião pública”. Depois da revolução a Censura foi extinta.
No início da década de 90 surgiram dois canais de televisão independentes.
Hoje, 40 anos depois, a internet é aproveitada como instrumento para falar e expor ideias sem lápis azul. As críticas são agora contra os “cães de guarda” dos grandes grupos económicos.
twitter facebook Google plus