Info

UE particularmente preocupada com declarações de Erdogan - Governo

| Política
Porto Canal com Lusa

Bruxelas, 18 jul (Lusa) - A União Europeia (UE) vai "acompanhar muito de perto" a situação na Turquia, sobretudo à luz das declarações "preocupantes" do Presidente Recep Erdogan, afirmou hoje em Bruxelas a secretária de Estado dos Assuntos Europeus.

Margarida Marques, que representa Portugal na reunião de chefes de diplomacia da UE - em virtude da deslocação do ministro Augusto Santos Silva a Moscovo -, disse aos jornalistas que a Turquia foi "um ponto importante" do pequeno-almoço de trabalho, que contou também com a participação do secretário de Estado norte-americano, John Kerry, tendo os 28 manifestado preocupação com os últimos desenvolvimentos no país, na sequência da tentativa de golpe de Estado na passada sexta-feira.

"A questão da Turquia para nós é uma questão que interessa acompanhar muito de perto, sobretudo depois das declarações do presidente Erdogan. Manifestámos a nossa preocupação pela evolução dos direitos fundamentais, das liberdades fundamentais, do Estado de Direito na Turquia, e manifestámos preocupação pelo número elevadíssimo de pessoas detidas a seguir ao golpe", apontou a secretária de Estado.

Margarida Maques disse que os chefes de diplomacia sublinharam, por um lado, que, sendo a Turquia candidata à adesão à UE, "deve respeitar os critérios de Copenhaga", a nível de direitos, liberdades e estado de direito; e por outro lado, a "preocupação pela ideia que começa a surgir de reintroduzir a pena de morte" no país.

"O que nos preocupa fundamentalmente são as declarações políticas que temos ouvido relativas ao Estado de Direito e à possibilidade de reintrodução da pena de morte", muito longe daquilo que são os valores europeus, assinalou.

A secretária de Estado disse que os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE concordaram que é necessário acompanhar a situação "de forma sistemática" também à luz do "acordo entre UE e Turquia para ajudar problema dos refugiados" e das negociações sobre a liberalização de vistos.

"São dois assuntos que acompanharemos muito de perto dada a nova realidade e dadas as declarações que temos ouvido na Turquia", asseverou, acrescentando que as mesmas deixam "mais preocupação".

Já hoje, a chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, avisou que nenhum país se tornará membro do espaço comunitário se introduzir a pena de morte.

"Vou ser muito clara, nenhum país se tornará um estado-membro da UE se introduzir a pena de morte. É muito claro. É um ponto-chave", afirmou a comissária, em resposta a uma questão, em conferência de imprensa, sobre eventuais impactos nas negociações de uma eventual reposição da pena de morte na Turquia.

O aviso de Mogherini surgiu depois de o Presidente turco, Recep Erdogan, ter colocado a hipótese de repor a pena de morte no país, na sequência de uma falhada tentativa de golpe de Estado e como forma de punir os envolvidos nos acontecimentos de sexta-feira.

ACC/IG/PL // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Política

"O PS continua a ser muito permeável a conjunto de interesses"

Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda, afirma que o Partido Socialista "continua a ser muito permeável a conjunto de interesses que sempre moldaram a atuação" dos socialista e que isso se reflete na hora de votar.

Mariana Mortágua defende que a Caixa Geral de Depósitos devia financiar setores estratégicos para o país

Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda, afirma que o Governo, em coordenação com o Parlamento, deveria definir a estratégia de atividade da Caixa Geral de Depósitos para se "evitar financiar atividades especulativas de empresários aventureiros" e dar prioridade a financiar setores estratégicos para o país.

Ministra Marta Temido encabeça lista do PS pelo círculo de Coimbra

 A ministra da Saúde, Marta Temido, vai encabeçar a lista socialista pelo círculo eleitoral de Coimbra nas próximas eleições legislativas, disse à agência Lusa a secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.