Info

Muro que matou três alunos em Braga era "ratoeira armada" - famílias das vítimas

| Norte
Porto Canal com Lusa

Braga, 25 mai (Lusa) - O muro que em 2014 caiu em Braga e matou três estudantes da Universidade do Minho era "uma autêntica ratoeira armada, à espera das presas", acusam as famílias das vítimas, num requerimento a que a Lusa hoje teve acesso.

A acusação consta no requerimento de abertura de instrução do processo, que levou à constituição de arguidos de um engenheiro e um fiscal da Câmara de Braga e ainda do gerente de uma empresa de condomínios.

Anteriormente, tinham sido constituídos arguidos apenas quatro estudantes que saltaram em cima do muro e que, segundo o Ministério Público, levaram à queda daquela estrutura, atingindo mortalmente três colegas.

Os sete arguidos estão acusados de homicídio por negligência.

O advogado das famílias das vítimas, João Noronha de Carvalho, disse à Lusa que o debate instrutório do caso, que decidirá se os arguidos vão ou não a julgamento, está marcado para 16 de junho.

O caso remonta a 23 de abril de 2014, quando, num contexto de "guerra de cursos", quatro alunos treparam a uma estrutura composta por alvenaria de tijolo e betão, com cerca de um metro e meio de altura e quatro metros de comprimento, destinada a albergar recetáculos de correio, onde permaneceram a "cantar e a saltar".

Segundo o Ministério Público, os quatro estudantes "deram causa a que a estrutura rodasse sobre a sua base e caísse para a frente, colhendo quatro outros alunos, cujos corpos ficaram sob a mesma".

Três deles viriam a morrer "na sequência dos ferimentos sofridos".

Os alunos que estiveram em cima do muro foram acusados de homicídio por negligência.

Agora, e na sequência de requerimentos de abertura de instrução tanto por parte dos alunos arguidos como das famílias das vítimas, também foram constituídos arguidos um engenheiro e um fiscal da Câmara de Braga e o gestor de uma empresa de condomínios.

No requerimento apresentado pelas famílias das vítimas, representadas pelo advogado João Noronha de Carvalho, lê-se que o condomínio do prédio servido por aquele recetáculo de correio tinha escrito, em janeiro de 2010, à Câmara, alertando que o muro estava a desmoronar e solicitando diligências para a sua "reparação urgente".

A Divisão de Fiscalização da Câmara respondeu a 20 de janeiro do mesmo ano, solicitando ao condomínio para proceder à consolidação do muro num prazo de 15 dias.

Pelo meio, houve ainda queixas e alertas do carteiro e do Centro de Distribuição Postal.

O condomínio optou pela construção de um outro recetáculo, mas aquele permaneceu "entregue à sua sorte", em progressiva degradação e inclinação.

"Uma autêntica ratoeira armada, à espera das presas", refere o requerimento de instrução das famílias das vítimas, sublinhando que quer os responsáveis da câmara quer o condomínio incorreram numa "violação frontal e grosseira" do "dever de garante" da segurança de pessoas e bens.

VCP // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Colisão rodoviária em Lousada faz cinco feridos. Um deles grave

Uma colisão entre dois veículos ligeiros de passageiros provocou cinco feridos, um deles em estado grave, na tarde deste sábado, na freguesia de Torno, junto à Casa de Juste, em Lousada, apurou o Porto Canal junto das autoridades.

Incêndio florestal em São Pedro da Cova dominado 

O incêndio florestal que chegou a ameaçar casas no lugar do Carvalhal, em São Pedro da Cova, Gondomar, na tarde deste sábado, foi dominado apurou o Porto Canal junto das autoridades.

Atualizado 20-07-2019 16:15

Explosão de gás e incêndio obriga a retirar 28 idosos de lar na Feira

Uma explosão de gás num lar da terceira idade em Santa Maria da Feira, seguida de incêndio, obrigou este sábado à retirada dos 28 idosos que ali se encontravam, não havendo registo de feridos, apurou o Porto Canal junto das autoridades e disse o presidente da Câmara à Lusa.

Atualizado 20-07-2019 14:41

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS