Jornal Diário Jornal das 13

Câmara de Aveiro discorda do Governo sobre a ligação ferroviária a Salamanca

| Norte
Porto Canal com Lusa

Aveiro, 06 abr (Lusa) -- A Câmara de Aveiro aprovou hoje, por unanimidade, uma tomada de posição exortando o governo a desenvolver um traçado novo para a Ligação Ferroviária a Salamanca, onde a Linha da Beira Alta tem limitações técnicas.

A decisão tomada pelo executivo foi no sentido de subscrever o parecer do conselho intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) sobre o "Plano de Investimentos em Infraestruturas / Ferrovia 2020", apresentado pelo Governo a 12 de fevereiro.

"A competitividade da ligação ferroviária Aveiro/Salamanca, o seu contributo para a redução dos custos de logística das empresas, a rentabilidade desse importante investimento público, têm de ser os critérios essenciais" e a opção do Governo Português e da Comissão Europeia "não pode ser tomada pelo mais barato", observou o conselho da CIRA.

No documento, exorta-se o Governo Português a qualificar a Linha da Beira Alta, mas desenvolvendo um traçado novo, "onde tecnicamente se exige, sem as inultrapassáveis limitações técnicas de várias zonas" daquela Linha.

A Câmara de Aveiro reforça a sua posição com as considerações feitas pela Associação Portuguesa para o Desenvolvimento dos Sistemas Integrados de Transportes (ADFERSIT), que criticou o Governo por optar por modernizar a Linha da Beira Alta, em vez de construir uma nova via em bitola europeia, "única associação com capacidade técnica para se pronunciar" segundo o presidente da Câmara, Ribau Esteves. Em causa está a decisão de modernizar a Linha da Beira Alta (a que se junta um troço Aveiro-Mangualde) face à alternativa de uma linha nova em via dupla e bitola europeia, que para aquela associação é "a única opção que permite transporte direto e competitivo para os mercados europeus no Corredor Aveiro-Salamanca".

"A ADFERSIT tem alertado para os efeitos negativos desta opção para a competitividade da economia portuguesa, pois a linha da Beira Alta não tem capacidade para servir as necessidades futuras da economia portuguesa no comércio com a União Europeia, por duas razões: ser em via única em grande parte do trajeto e na sua continuação em Espanha, e não haver nenhum plano calendarizado e acordado com Espanha para o seu funcionamento em bitola europeia", sustentou aquela associação.

Além da maioria PSD/CDS, os vereadores do movimento Juntos por Aveiro e do PS votaram a favor da posição pública, com o socialista Eduardo Feio a salientar que uma nova linha "interessa a Aveiro, mas também a Viseu e à Guarda e à economia do país" e a defender que "o foco tem de ser o tráfego de mercadorias que é quase todo feito por via rodoviária", acreditando que o processo "terá ainda uma fase de maturação".

MSO // MSP

Lusa / Fim

+ notícias: Norte

Hospital de São João quer aproveitar projeto antigo para novo Centro Pediátrico

O Centro Hospitalar de São João, no Porto, está a "auscultar os serviços jurídicos" sobre a possibilidade de poder aproveitar o projeto existente para a construção do novo Centro Pediátrico, anunciou hoje o presidente da administração daquele hospital.

Ministério Público está a investigar o caso dos dois doentes em isolamento numa instituição em Bragança

O Ministério Público está a investigar o caso dos dois doentes que estão em isolamento há vários anos numa instituição em Bragança. O caso foi denunciado pelo Porto canal há dois meses. Depois disso, quase nada foi feito apesar da própria instituição pedir mais formação para lidar com os doentes, as entidades responsáveis continuam a dizer que os utentes vivem em condições adequadas.

100 semáforos geridos pela Metro do Porto em Matosinhos não têm sinal sonoro

Há 100 semáforos geridos pela Metro do Porto no concelho de Matosinhos que não têm avisos sonoros. A funcionalidade vai começar a ser instalada, uma vez que os sinais sonoros são indispensáveis para os invisuais.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.