Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Declarações de Ana Rita Cavaco provocam o 'caos' na saúde

Declarações de Ana Rita Cavaco provocam o 'caos' na saúde
ordemenfermeiros.pt
| País
Porto Canal (MYF)

O Partido Socialista (PS) solicitou uma reunião de carácter urgente com a bastonário da Ordem dos Enfermeiros, uma vez que as suas declarações estão a levantar suspeitas de que a eutanásia está a ser praticada no Serviço Nacional de Saúde (SNS). O Ministério Público e a Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) vão investigar. Ana Rita Cavaco esclarece que as suas palavras não foram bem interpretadas.

A participar no programa 'Em Nome da Lei’, na rádio Renascença, Ana Rita Cavaco revelou que a eutanásia é praticada nos hospitais públicos e que já assistiu a situações em que os médicos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) sugeriram dar insulina a doentes em situação terminal para lhes causar o coma e provocar a morte.

No entanto, a bastonário da Ordem dos Enfermeiros veio esclarecer o que as suas declarações não foram corretamente transcritas e interpretadas, clarificando que não estava “"a dizer que as pessoas o fazem, estou a dizer que temos de falar sobre essas situações”, avançou ao DN. Ana Rita Cavaco acabou por esclarecer que nunca presenciou a prática da eutanásia nos hospitais públicos, mas que esta faz parte das discussões dos profissionais de saúde, em equipa.

"Quando disse que vi médicos a sugerir administrar insulina referia-me a conversas no seio das equipas. Temos de aceitar que os médicos e os enfermeiros recolhem informação e tomam decisões a cada minuto. Mas nunca disse que praticavam ou que tinham proposto isto aos doentes”, explicou ao DN.

O que é certo é que as declarações da bastonária não caíram bem e a polémica instalou-se desde logo com a Ordem dos Médicos que diz desconhecer a existência de casos de eutanásia "explícita ou encapotada" e que estas declarações iriam ser enviadas à IGAS, Ministério Público e órgãos disciplinares da Ordem dos Enfermeiros.

O Ministério da Saúde avançou, esta segunda-feira, que "solicitou, com carater de urgência e tendo em vista o cabal esclarecimento dos cidadãos, uma intervenção da IGAS com vista ao apuramento dos factos”, no Parlamento.

Adalberto Campos Fernandes, Ministro da Saúde, veio intervir de imediato dizendo "não acreditar que os profissionais do SNS não façam aquilo que a lei determina, que a sua consciência exige e que os princípios da ética e rigor profissional exigem, por isso vamos ter serenidade". Acredita na má interpretação das declarações prestadas pela bastonário à rádio Renascença e espera agora que o IGAS esclareça as mesmas com Ana Rita Cavaco.

+ notícias: País

Fogo florestal provoca um morto em Mangualde

Uma pessoa morreu na sequência de um incêndio florestal que deflagrou no concelho de Mangualde ao início da tarde de hoje, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viseu.

Tempo seco, temperaturas máximas elevadas e mínimas baixas até quarta-feira

O tempo seco vai continuar pelo menos até à próxima quarta-feira, altura em que poderá haver precipitação, disse à agência Lusa a meteorologista Maria João Frada, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Pedrógão Grande: Associação de vítimas diz que apoio psicológico em Pedrógão Grande está a falhar

A Associação de Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande (AVIPG) denunciou hoje que a resposta psicológica está a falhar no terreno e defendeu um apoio especializado e porta a porta.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS