Info

Ministro das Finanças diz que será a última vez que se usará dinheiro público para salvar a banca

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 23 dez (Lusa) - O ministro das Finanças, Mário Centeno, afirmou hoje que o processo do Banif será o último em que o atual Governo usará dinheiro público na resolução de um problema do setor da banca em Portugal.

Mário Centeno falava na Assembleia da República, durante o debate da proposta do Governo de Orçamento Retificativo para 2015, no período em que respondia a questões formuladas pelos deputados.

"Posso afirmar que é propósito deste Governo não utilizar mais dinheiro público na solução da banca em Portugal", declarou o titular da pasta das Finanças.

Mário Centeno salientou neste contexto que o Governo "faz uma leitura de inação" do anterior executivo [PSD, CDS-PP] no quadro do programa de ajustamento" da 'troika' (Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional), no que concerne à intervenção no setor financeiro.

"Este Governo já anunciou que irá avançar com uma proposta de alteração da arquitetura de supervisão e de resolução bancária, diploma que em breve será apresentado", completou o membro do executivo.

Em resposta às perguntas do deputado do Bloco de Esquerda Paulo Lino Ascensão sobre as perspetivas de manutenção dos postos de trabalho do Banif, Mário Centeno referiu que as garantias que tem o Governo "são as mesmas que o banco Santander Totta deu no processo de compra".

"Ficarão cerca de mil trabalhadores na órbita do Santander Totta e os outros 600 trabalhadores do Banif serão colocados no veículo de gestão de ativos constituído no âmbito do fundo de resolução", referiu.

O ministro das Finanças fez ainda questão de salientar que no processo Banif "foram esgotados todos os prazos de negociação com as autoridades europeias".

"A proposta de circunscrever o Banif às ilhas era parte da proposta da Comissão Europeia, mas foi rejeitada pelo anterior Governo", acrescentou.

PMF // SMA

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Confirmada anulação da transferência de 476 milhões de euros para Novo Banco

O plenário do parlamento confirmou hoje a votação na especialidade da proposta orçamental do BE que anula a transferência de 476 milhões de euros do Fundo de Resolução para o Novo Banco.

Covid-19: Pais que fiquem com filhos nas vésperas dos feriados só têm faltas justificadas

Os pais que fiquem em casa com os filhos a 30 de novembro e a 07 de dezembro, devido ao encerramento das escolas, terão faltas justificadas mas perdem remuneração, a menos que os empregadores lhes concedam tolerância de ponto.

Covid-19: Restaurantes já podem pedir apoios à receita perdida nos fins de semana

Os restaurantes dos concelhos abrangidos pelo estado de emergência podem a partir de hoje pedir um apoio de 20% da receita perdida nos dois últimos fins de semana, devido às restrições impostas aos estabelecimentos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.