Info

Aprovada redução da sobretaxa em 2016 só com votos contra do PSD e do CDS

Aprovada redução da sobretaxa em 2016 só com votos contra do PSD e do CDS
| Política
Porto Canal

Os deputados aprovaram hoje a aplicação da sobretaxa de IRS em 2016, que será eliminada no escalão mais baixo de rendimentos e progressiva nos seguintes, permanecendo nos 3,5% para as famílias que ganhem mais de 80.000 euros.

A proposta de alteração apresentada pelo PS foi aprovada hoje, na votação final global no plenário da Assembleia da República, com os votos favoráveis do PS, do BE, do PCP, do PEV e do PAN, tendo tido os votos contra do PSD e do CDS-PP.

Os contribuintes que aufiram até 7.070 euros não pagarão sobretaxa no próximo ano. Neste escalão do IRS, estão quase 3,5 milhões de agregados, que representam mais de metade das famílias que pagam IRS, mas que pagaram apenas 2,3 milhões de euros a título de sobretaxa em 2014.

Os contribuintes do segundo escalão de rendimentos, entre os 7.000 e os 20.000 euros anuais, vão continuar a pagar sobretaxa em 2016 mas a uma taxa reduzida de 1% e para as famílias do escalão seguinte, entre os 20.000 e os 40.000 euros, a sobretaxa passará para os 1,75% no próximo ano.

A sobretaxa das famílias com rendimentos anuais entre 40.000 e 80.000 euros será de 3% em 2016 e manter-se-á nos 3,5% para os contribuintes que ganhem mais de 80.000 euros por ano.

Na sua proposta inicial, o PS comprometeu-se a extinguir a sobretaxa "entre 2016 e 2017", mas a medida, com o desenho inicialmente proposto pelo PS, não recebeu a concordância do BE nem do PCP, tendo sido alvo de negociações.

O PCP apresentou mesmo uma proposta de alteração na especialidade, que foi chumbada, e que estabelecia que, em 2016, a sobretaxa de IRS incidisse apenas sobre os rendimentos acima de 20.000 euros, sendo de 1,75% para os rendimentos entre os 20.000 e os 40.000 euros e de 3,5% para os rendimentos acima de 40.000 euros.

+ notícias: Política

Marcelo considera que encerramento das escolas "é uma boa solução"

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República Portuguesa e candidato a novo mandato Presidencial, depois da Ministra da Saúde, Marta Temido, admitir o encerramento imediato das escolas face à pandemia de Covid-19, afirma que "fechar as escolas é uma boa solução".

Ministra da Saúde admite fecho de escolas de imediato devido à pandemia do Covid-19

Marta Temido, Ministra da Saúde, em entrevista à RTP, disse que o país poderá ter de fechar todas as escolas de imediato. No entanto remete a decisão final sobre o assunto para o conselho de ministros desta quinta-feira.

Marcelo Rebelo de Sousa aponta segunda volta como provável caso abstenção atinja 70%

O Presidente da República e recandidato ao cargo, Marcelo Rebelo de Sousa, apontou hoje uma segunda volta como provável, "quase inevitável", no caso de a abstenção nas eleições presidenciais de domingo atingir os 70%.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Exemplos de treinos que podemos fazer...