Info

Taxa de alojamento de 80% a 90% para o festival Primavera Sound

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Porto, 29 mai (Lusa) -- A taxa de ocupação em unidades hoteleiras do Porto durante o Optimus Primavera Sound é de 80% a 90%, valores que sofreram "uma ligeira diminuição" em relação ao ano passado, anunciou a Associação Portuguesa de Hotelaria Restauração e Turismo.

A Associação Portuguesa de Hotelaria Restauração e Turismo (APHORT) fez uma estimativa sobre o impacto turístico associado ao festival, no que diz respeito ao alojamento, junto de 10% dos seus cerca de 150 associados no distrito do Porto.

A APHORT concluiu que o movimento de visitantes no Porto para quinta-feira, sexta-feita e sábado, dias em que se realiza o festival de música, é "muito positivo".

Com taxas de ocupação "na ordem dos 80% a 90%", assiste-se a "uma ligeira diminuição", já que em 2012 "muitas unidades [hoteleiras] atingiram taxas de 100 por cento".

Os turistas esperados são maioritariamente portugueses e espanhóis, com idades compreendidas entre os 20 e os 35 anos de idade, que este ano efetuaram mais reservas de grupos e menos individuais ou de casais.

"No que diz respeito aos critérios inerentes à escolha do tipo de alojamento, a perceção é a de que esta escolha é feita sobretudo tendo em conta a localização do estabelecimento - proximidade do recinto - e o tipo de ambiente - é dada preferência a ambientes informais como no caso dos hostels - ", afirmou Rita Fonseca da APHORT.

A Agência Lusa contactou aleatoriamente quatro hostels situados no centro da baixa citadina.

Margarida Oliveira da Pensão Favorita, na rua Miguel Bombarda, afirmou que tem lotados os 12 quartos disponíveis, destinados a 38 pessoas, nos três dias do festival. Acrescentou ainda que 50% das reservas foram feitas por público estrangeiro.

Na mesma rua, o Gallery Hostel tem casa cheia apenas na sexta-feira, com uma lotação máxima de 43 pessoas.

"Mais de 50% das reservas são de público estrangeiro", concluiu Adriano Mineiro, um dos responsáveis pela unidade hoteleira.

No Oporto Invictos Hostel, Alda Catarino garante que no sábado tem o espaço completo com as 28 camas disponíveis ocupadas.

O mesmo acontece no Oporto Down Town Hostel, na Praça Guilherme Gomes Fernandes, que espera 38 pessoas no sábado.

Como aconteceu no ano passado, a Optimus criou a plataforma "Bed & Breakfast" com o objetivo de "juntar duas tendências", o público e a cidade, disse à agência Lusa Pedro Moreira da Silva, um dos responsáveis pela comunicação da marca portuguesa.

"Por um lado, um público que procura um alojamento mais alternativo e pouco ortodoxo ou convencional, e que vê no alojamento uma oportunidade para interagir com a cidade e conhecer pessoas. Por outro, o próprio espírito das pessoas do Porto que gostam de receber e que têm orgulho em mostrar o que a cidade tem de melhor", explicou o responsável.

Esta aplicação gratuita do facebook da marca cria as condições necessárias para ser estabelecido o contacto entre os visitantes e as pessoas que queiram alugar casa.

A plataforma está ativa há cerca de cinco meses e, em relação ao ano passado, tanto a oferta como a procura têm duplicado afirma o responsável da operadora de telecomunicaç~eos, o mesmo acontecendo com o número de alugueres.

O festival de música Optimus Primavera Sound realiza-se de quinta-feira a sábado no recinto do Parque da Cidade, no Porto.

MAZM/DP // HB

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Homem tenta matar mulher e suicida-se em Lamego

Um homem tentou hoje matar uma mulher, em Lamego (distrito de Viseu), tendo-se suicidado depois, confirmou à Lusa fonte da Direção Nacional da PSP.

Encontrado cadáver junto da A28 na avenida AEP no Porto

Um cadáver do sexo masculino foi encontrado, este sábado, junto da A28 no avenida AEP no Porto, apurou o Porto Canal com fonte da PSP.

Eduardo Vítor Rodrigues afirma que o avanço da Regionalização não é precipitado porque há 20 anos que se espera o desenvolvimento

Depois dos autarcas do Porto e de Lisboa agora é o presidente da Área Metropolitana do Porto a dizer que não entende como se pode afirmar que é precipitado avançar com a regionalização. Eduardo Vítor Rodrigues lembra que há 20 anos que se aguarda pelo desenvolvimento do processo. Uma tomada de posição no mesmo dia em que a ministra da coesão considerou que a regionalização é algo que ainda tem de amadurecer.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.