Jornal Diário Jornal das 13

Família de refugiados acolhida em Ovar

Família de refugiados acolhida em Ovar
| Norte
Porto Canal (IYB)

Durante dois anos, uma das primeiras famílias de refugiados sírios a chegar a Portugal terá uma casa e emprego disponível na cidade de Ovar. As informações foram avançadas num grupo do Facebook, “Famílias como as nossas”, e confirmam que esta família foi resgatada por um grupo de voluntários em Viena, Áustria.

As Juntas de Freguesia de Ovar uniram-se num projecto que visava em dar a conhecer a cidade à família síria, que confirmam ter sido "extremamente bem recebida quer pelos voluntários, quer pela população em geral". Segundo a publicação no grupo da rede social, a casa oferecida à família por dois anos tem três quartos e está muito bem localizada. Foram também concedidos dois postos de trabalho por uma empresa multinacional.

O autor do texto afirma que esta família estava em Viena e que foi convencida a vir para Portugal.

"Foi-lhes atribuída licença de residência, ganharam amigos e uma nova família, iniciaram a aprendizagem da nossa língua dos nossos hábitos e costumes e estão agora preparados para integrar social e profissionalmente a sociedade portuguesa como quaisquer outros cidadãos estrangeiros que residam em Portugal", explicou.

+ notícias: Norte

CGTP anuncia queixa ao Ministério Público de alegada “tortura psicológica” por empresa da Feira

A Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP) vai apresentar queixa ao Ministério Público contra a empresa de Santa Maria da Feira que acusa de exercer "tortura psicológica" sobre uma operária reintegrada por ordem judicia.

Atualizado 22-09-2018 12:37

Colisão entre dois carros provoca um morto e um ferido grave em Gondomar

Um colisão entre dois automóveis ligeiros provocou, este sábado, uma vítima mortal e um ferido grave, na EN108, em Zebreiros, Gondomar, apurou o Porto Canal com fonte dos Bombeiros Voluntários de Valbom.

Diretor artístico do Museu de Serralves apresenta demissão

O diretor artístico do Museu de Arte Contemporânea de Serralves, João Ribas, apresentou na sexta-feira a sua demissão porque "já não tinha condições para continuar à frente da instituição", segundo disse o próprio ao jornal Público.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.