Info

DouroAzul investe 1ME em embarcaçõe tipo Rabelo para 'riversightseeing' no Douro

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Porto, 09 ago (Lusa) -- A DouroAzul investiu um milhão de euros em duas novas embarcações inspiradas nos tradicionais barcos rabelo que, desde hoje, efetuam cruzeiros de 'riversightseeing' no rio Douro, na zona histórica do Porto e Gaia, no designado Circuito das Pontes.

Segundo adiantou à agência Lusa fonte da empresa de cruzeiros fluviais, a "Carlota do Douro" e a "Catarina do Douro" são as primeiras embarcações da Blueboats, a nova empresa de 'riversightseeing' do grupo.

Apesar de inspiradas nos tradicionais barcos rabelos, as novas embarcações reclamam "um 'design' mais arrojado e contemporâneo, com cores mais vivas", e apostam na diferenciação através de algumas novidades, nomeadamente tecnológicas, face à restante oferta do segmento.

É o caso dos audioguias GPS em 16 línguas diferentes e da operação em sistema de 'hop on hop off', que permitirá aos passageiros iniciarem o percurso na Ribeira do Porto e terminá-lo no Cais de Gaia e vice-versa.

Outra novidade é a música ao vivo, já que estes cruzeiros terão um guitarrista a bordo para, "juntando a vertente cultural à turística", ir animando o percurso tocando a tradicional guitarra portuguesa.

"Procuramos inovar, mantendo o conceito tradicional dos cruzeiros de 'riversightseeing' no Douro", afirmou o presidente do conselho de administração da DouroAzul, Mário Ferreira.

Segundo salientou, o objetivo da empresa é "modernizar este segmento turístico, tornando-o num produto de referência a nível internacional".

De acordo com os dados avançados pela DouroAzul, o bilhete simples da BlueBoats terá um custo de 10 euros e permitirá a realização de cruzeiros 'hop on hop off' entre as duas margens durante um dia.

Também disponíveis estarão opções de bilhetes que irão combinar os cruzeiros com outros produtos turísticos da cidade, como as caves do vinho do Porto (valor do bilhete combinado 12 euros) e dos autocarros turísticos da BlueBus (bilhete com valor de 16 euros, válido para dois dias).

Será ainda possível combinar os três produtos -- cruzeiro, caves e autocarro -- num bilhete combinado válido para dois dias e com um custo de 19 euros.

A construção destas duas novas embarcações enquadra-se no projeto 'Douro Global' da DouroAzul, que envolve um investimento global de 37,325 milhões euros, com comparticipação comunitária de 16,641 milhões de euros.

Além dos dois cruzeiros de 'riversightseeing', o projeto inclui o navio-hotel Queen Isabel (inaugurado em março), dois navios-hotel atualmente em construção na Navalria (com entrada ao serviço prevista para inícios de 2014) e, ainda, seis autocarros para transporte de clientes.

Fundada em 1993, a DouroAzul conta atualmente com uma frota de sete navios-hotel, a royal barge Spirit of Chartwell, três embarcações de 'riversightseeing' de tipologia Rabelo e um iate de luxo.

A DouroAzul dispõe ainda de uma frota de autocarros turísticos para suporte aos programas em navio-hotel, além de 10 autocarros turísticos de 'sightseeing', ao serviço da BlueBus City Tours.

Em 2012, a empresa inaugurou um Tourist & Business Wellcome Center na freguesia de Miragaia, nas instalações dos primeiros armazéns de Vinho do Porto.

Do grupo DouroAzul fazem ainda parte as empresas Helitours, dedicada à realização de 'tours' aéreos em helicóptero, a Caminho das Estrelas, dedicada ao turismo espacial, e a recentemente anunciada World of Discoveries, que irá desenvolver e explorar um museu interativo e parque temático dedicado à epopeia dos Descobrimentos Portugueses.

PD // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

GNR desmantela rede de contrafação no Norte e apreende 1,4 milhões de euros em artigos

A Unidade de Ação Fiscal da GNR anunciou este sábado que desmantelou uma rede de fabrico e venda de artigos contrafeitos, apreendendo material no valor estimado de 1,4 milhões de euros em Matosinhos e Famalicão.

Alunos de Vinhais fecham escola por causa do frio

Os alunos da escola secundária de Vinhais queixam-se do frio nas salas de aulas. Não se fazem obras no centro escolar há mais de 30 anos e os 300 alunos protestam contra a falta de condições.

População de Covas do Barroso está contra o projeto da mina de lítio

A população de Covas do Barroso e a autarquia de Boticas estão contra o projeto de uma mina de lítio a céu aberto em território classificado como Património Agrícola Mundial. A empresa responsável fala num investimento de 500 milhões de euros.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.