ESPECIAL CANDIDATURAS
CLIQUE AQUI PARA VER MAIS
Projeto Parceria
Porto Canal
Info

Costa lamenta demissão de Alfredo Barroso e quer esclarecer "contexto" correcto

| Política
Fonte: Agência Lusa

Lisboa, 26 fev (Lusa) - O secretário-geral socialista, António Costa, lamentou hoje a decisão de Alfredo Barroso de se demitir do PS, mas adiantou que procurará pessoalmente esclarecer o fundador do partido sobre a correta interpretação da sua intervenção perante a comunidade chinesa.

Esta posição foi transmitida à agência Lusa por António Costa, depois de Alfredo Barroso, antigo chefe da Casa Civil do Presidente da República Mário Soares, ter anunciado a sua demissão do PS.

"Tenho muita estima e consideração por Alfredo Barroso, respeito qualquer que seja a sua decisão. Lamento-a", declarou o secretário-geral do PS, que ainda acrescentou:

"Procurarei contextualizar-lhe pessoalmente a minha intervenção para que a possa interpretar corretamente", frisou António Costa.

Alfredo Barroso anunciou a sua demissão do PS, classificando como "vergonhosa" a intervenção de António Costa aquando das comemorações do novo ano chinês, na semana passada, no Casino da Póvoa de Varzim.

"Como nós dizemos em Portugal, os amigos são para as ocasiões. E, numa ocasião difícil para o país, em que muitos não acreditaram que o país tinha condições para enfrentar e vencer a crise, a verdade é que os chineses, os investidores, disseram presente, vieram e deram um grande contributo para que Portugal pudesse estar hoje na situação em que está, bastante diferente daquela que estava há quatro anos atrás", disse, na altura, o líder socialista, António Costa, ao agradecer o apoio dos investidores chineses em Portugal.

PMF // ZO

Lusa/fim

+ notícias: Política

Marcelo receita "tolerância zero" e "sensatez" contra o racismo

O Presidente da República recomendou hoje aos democratas "tolerância zero" e "sensatez" para combater o racismo, ao comentar as ameaças de que foram alvo três deputadas e outros sete ativistas.

Presidente do parlamento repudia "tentativas de intimidação" a deputadas e a ativistas

O presidente da Assembleia da República repudiou hoje as ameaças dirigidas a três deputadas e a ativistas por parte de um "grupúsculo de extrema-direita", condenando os "atos racistas e fomentadores do ódio" e a tentativa de intimidação.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.