Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Tecnologias novas para apoiar séniores apresentadas na Universidade do Porto

| Norte
Porto Canal com Lusa

Sapatos com sistema de aquecimento que permitem a localização através de GPS ou uma balança que mede os sinais vitais e envia dados para o 'tablet' do médico são tecnologias apresentadas hoje no Porto para apoiar a população sénior.

Há quatro anos nasceu o "Ambient Assisted Living para todos (AAL4ALL), um projeto inovador do Health Cluster Portugal que colocou 400 pessoas em Portugal, idosos e seus cuidadores, a testar tecnologias e serviços criados propositadamente para apoiar a população sénior ao nível de cuidados de saúde e bem-estar.

"É um projeto mobilizador (...) que envolveu mais de 30 instituições nacionais (...) de diversas áreas, quer académica, quer da indústria, quer da saúde, quer da segurança, envolveu um investimento à volta de 6,8 milhões de euros, com um cofinanciamento público a fundo perdido à volta de 4 milhões de euros", explicou à Lusa Miguel Sales, da Microsoft Portugal.

Para o vice-presidente da direção do Health Cluster Portugal e o especialista em cancro, Manuel Sobrinho Simões, o projeto-piloto AAL4ALL é o "primeiro grande sucesso" daquela instituição.

"Estamos particularmente felizes, porque fomos bons a operacionalizar um conceito", declarou Manuel Sobrinho Simões, durante a apresentação pública do projeto, que decorreu hoje à tarde no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC).

Uma plataforma de monitorização da saúde que através de uma balança de peso com sensores permite saber dados biométricos (glicemia, colesterol, tensão arterial, temperatura corporal) e dados domóticos (humidade, dióxido de carbono e temperatura da casa) é apenas uma das dezenas de tecnologias do projeto que vai permitir "proporcionar um novo fôlego à perspetiva de viver até uma idade avançada com qualidade de vida", explica uma nota de imprensa da Health Cluster Portugal.

No projeto, que está a ser testado em 400 pessoas espalhadas pelo Grande Porto, Aveiro, Covilhã e Évora, inclui também o 'Smart Shoe Locator', que é um protótipo de sapato com sistema de aquecimento autónomo integrado que permite a localização da pessoa e definição da área de segurança através do GPS (Global Position System).

Um sensor detetor de quedas, uma plataforma de jogo baseada em tablet que procura estimular cognitivamente os seniores ou uma aplicação para smartphone que pretende detetar sinais de depressão através da análise de variações de comportamento são outras das tecnologias do projeto português que os participantes gostariam de ver internacionalizado e implementado, por exemplo, no Serviço Nacional de Saúde.

Um dos objetivos para o projeto "Ambient Assisted Living para todos (AAL4ALL) é "tornar vendável" e "exportável" o projeto, admitiram à Lusa Miguel Sales, da Microsoft, e Vítor Ribeiro, da PT Inovação.

O representante da PT Inovação, Vítor Ribeiro, avançou mesmo à Lusa que a PT Inovação já está a trabalhar no sentido de implementar o AAL4ALL em Angola.

Neste projeto estiveram envolvidos cerca de 200 engenheiros, cientistas e investigadores em criar soluções tecnológicas para o problema do envelhecimento ativo.

Nos censos de 2011, em 11 milhões de habitantes, Portugal registava 19% de idosos. Prevê-se que em 2050 exista em Portugal 30% de idosos, mas se a população portuguesa baixar para os sete milhões de habitantes podemos chegar a 50% de população com mais de 65 anos.

+ notícias: Norte

Pescador de Vila do Conde morreu afogado ao largo de Aveiro

Um pescador da traineira "Sérgio Soraia", de Vila do Conde, morreu hoje afogado, quando estava a pescar ao largo de Aveiro, informou fonte da Capitania do Porto de Aveiro.

Porto afastado da "corrida" a nova sede da Agência Europeia do Medicamento

A cidade do Porto foi hoje eliminada na votação no Conselho da União Europeia para escolher a futura sede da Agência Europeia do Medicamento (EMA), que vai abandonar o Reino Unido devido ao 'Brexit', revelaram fontes europeias.

Autoridade de Saúde investiga doença infeciosa que provocou a morte a aluna da Maia

A Autoridade de Saúde do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Maia/Valongo está a "proceder à investigação epidemiológica" de uma doença infecciosa que provocou recentemente a morte de uma criança de sete anos, foi hoje anunciado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS