Info

Primeiras cinco famílias regressam ao Morro da Sé no Porto para casas reabilitadas

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Porto, 19 dez (Lusa) - Cinco famílias expropriadas em 2008 do Morro da Sé, no Porto, receberam hoje as chaves das novas casas, podendo regressar àquela zona da cidade, cuja reabilitação o presidente da Câmara considera ser a mais importante do centro histórico.

A cerimónia de entrega das chaves aos cinco primeiros arrendatários que assim podem voltar para o Morro da Sé definitivamente decorreu na Porto Vivo e contou com o presidente do Conselho de Administração da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU), Álvaro Santos, e o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.

"O Morro da Sé é o trabalho mais importante que nós estamos a fazer no centro histórico Temos que fazer esta reabilitação e pensar no turismo, nas pessoas que vêm de novo mas sobretudo temos que pensar nas pessoas que aqui vivem. Se o centro histórico perder a sua população, deixa de ser o centro histórico. Pode ser uma Disneyland, pode ser uma coisa muito engraçada, mas não tem nada a ver com a cidade de que eu me lembro", disse Rui Moreira aos jornalistas.

Depois da entrega das chaves aos moradores - que até fevereiro do próximo ano estarão realojados - Álvaro Santos explicou que estas são as primeiras cinco casas de um total de 81 que até 2016 estarão prontas para receber as famílias.

De acordo com o presidente da SRU, as casas têm "excelentes condições", tendo inclusivamente certificação energética A+.

Álvaro Santos aproveitou o momento para anunciar o relançamento de dois concursos para a construção naquela zona de um hotel e de uma residência de estudantes.

"Estas famílias esperaram muito tempo, houve muitas razões para não acreditarem mas acreditaram e para nós é fundamental que queiram voltar para cá e que com eles tragam aqueles que vão ocupar as casas que nós temos em reabilitação neste momento", disse Rio Moreira.

O antigo presidente da SRU - Rui Moreira renunciou ao cargo em novembro de 2012 - pediu a estes primeiros moradores que sejam os porta-vozes e passem a palavra aos seus antigos vizinhos, para que estes também regressem aquela zona histórica da cidade.

Com a entrega das chaves foram ainda assinados os acordos de realojamento com estes cinco arrendatários de prédios expropriados em 2008 por estarem em mau estado de conservação.

Como na altura, a Porto Vivo não tinha disponíveis habitações aptas para realojar as famílias, estas estiveram desde então em casas em situação provisória, tendo ficado acordado que seriam realojados em casas reabilitadas no Morro da Sé.

JF // MSP

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Hospital de Braga sem gastrenterologia: Governo diz que urgência noturna pode ser recuperada

O secretário de Estado da Saúde, Lacerda Sales, acredita que a urgência noturna do Hospital de Braga que está sem gastrenterologia pode ser recuperada e remete mais respostas para o conselho de administração do Hospital e para a Administração Regional de Saúde.

Autarca de Espinho diz que Eduardo Vítor Rodrigues não tem condições para continuar à frente da Área Metropolitana do Porto

O autarca de Espinho, Pinto Moreira, diz que Eduardo Vítor Rodrigues não tem condições para continuar à frente da Área Metropolitana do Porto. Em causa está o chumbo de um nome proposto pelo atual presidente para a Comissão Executiva do Órgao Intermunicipal.

Remoção dos resíduos perigosos depositados em São Pedro da Cova "vai finalmente avançar"

A remoção dos resíduos perigosos depositados em São Pedro da Cova, Gondomar, "vai finalmente avançar", disse hoje o presidente da câmara local, Marco Martins, revelando que o visto do Tribunal de Contas (TdC) que faltava chegou "esta semana".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.