Info

Portugal condena atentado que matou Brahmi na Tunísia

| País
Fonte: Agência Lusa

Lisboa, 27 jul (Lusa) - O Governo português condenou hoje o atentado que, na quinta-feira, matou o deputado da oposição tunisino Mohamed Al Brahmi, manifestando a sua convicção na "solidez" do processo de transição política democrática na Tunísia.

"Portugal condena firmemente o assassinato de Mohamed Brahmi, deputado da Frente Popular", ocorrido em Tunes, "e expressa as suas condolências aos seus familiares. Este ato deverá ser prontamente investigado e os seus responsáveis punidos", lê-se numa nota de imprensa do gabinete do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

O documento acrescenta que "Portugal condena toda a violência política, e acompanha com preocupação a evolução da situação, esperando que prevaleça o diálogo, a moderação e a serenidade entre as forças políticas e a sociedade civil da Tunísia".

E conclui: "Neste momento, reiteramos o nosso apoio ao Governo, instituições e povo tunisino e a nossa convicção na solidez do processo de transição política democrática".

Uma das principais figuras da oposição de esquerda nacionalista, o deputado Mohamed Brahmi foi assassinado na quinta-feira a tiro frente à sua casa perto de Tunes, anunciaram os 'media' oficiais e responsáveis do seu partido.

"Mohamed Brahmi, coordenador geral do Movimento Popular e membro da assembleia nacional constituinte foi assassinado por vários disparos de balas frente à sua casa na região de Ariana", indicou a televisão nacional Watanya e a agência oficial TAP. A Watanya precisou que Brahmi foi abatido por 11 balas disparadas por desconhecidos.

As Nações Unidas e a União Europeia já condenaram o atentado, que desencadeou uma série de manifestações ainda durante quinta-feira e motivou a marcação de uma greve geral para sexta-feira.

DN (FPA) // JLG

Lusa/Fim

+ notícias: País

Ministro da Agricultura diz que Portugal tem plano de contingência para bactéria 'Xylella fastidiosa'

O ministro da Agricultura, Capoulas Santos, assegurou esta sexta-feira que o Governo tem um plano de contingência para fazer face à bactéria 'Xylella fastidiosa' e que é necessário estar atento aos seus sintomas nas plantas.

Farmacêuticos avisam que está posta em causa segurança dos doentes nos hospitais

A bastonária da Ordem dos Farmacêuticos alerta que a segurança dos doentes está posta em causa nos hospitais públicos por falta de profissionais e diz que só falta aos farmacêuticos "lavar o chão" das farmácias hospitalares.

Enfermeiros suspendem greve nos blocos operatórios até novas negociações a 30 de janeiro

A greve dos enfermeiros em blocos operatórios vai manter-se suspensa até 30 de janeiro, dia em que haverá nova uma reunião negocial entre os sindicatos e o Governo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.