Info

Baião e Resende admitem manifestações contra fecho noturno de centros de saúde

| Norte
Porto Canal com Lusa

Os presidentes das câmaras de Baião e Resende disseram hoje à Lusa que admitem mobilizar a população para manifestações se o Governo não recuar na decisão de encerrar o atendimento noturno nos dois centros de saúde.

José Luís Carneiro e Garcez Trindade, ambos eleitos pelo PS, confirmaram também que os dois municípios já entregaram nos tribunais administrativos do Porto e Viseu providências cautelares para tentar impedir o encerramento do atendimento, entre as 24:00 e as 08:00, nos dias úteis.

Os dois autarcas criticam a decisão da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), poucos dias depois de os municípios terem apresentado, à Secretaria de Estado da Saúde, uma proposta para assumirem o custos de funcionamento daquele serviço durante a noite.

A decisão da ARS-N, anunciada aos municípios na quinta-feira, prevê o encerramento do atendimento noturno nos dias úteis, o que ocorrerá na próxima noite pela primeira vez. Ao fim de semana e feriados, o serviço manter-se-á em funcionamento 24 horas por dia.

José Luis Carneiro e Garcez Trindade sublinharam hoje que a decisão de encerramento "põe em causa um direito constitucional das populações". Os autarcas recordaram que os doentes daqueles concelhos, a maioria idosos e com poucas possibilidades financeiras, terão de se deslocar dezenas de quilómetros por estradas sinuosas para serem atendidos no Hospital Padre Américo, em Penafiel.

O autarca de Baião disse à Lusa que só no seu concelho, em 2013, foram realizados 700 atendimentos durante a noite, um serviço com um custo anual de 90.000 euros.

Carneiro insistiu que foi proposto ao secretário de Estado Leal da Costa que o município comparticipasse aquele custo e que o governante solicitou o envio, por escrito, daquela proposta, o que já foi realizado.

Elogiando a "cordialidade institucional" do secretário de Estado, o presidente da Câmara de Baião disse à Lusa que os autarcas dos dois municípios são "pessoas de palavra" e, por isso, continuam disponíveis para assumirem os encargos de funcionamento do atendimento noturno e assim garantir um serviço essencial para as populações.

"Estamos disponíveis para continuar a dialogar, mas não perante factos consumados", frisou, dizendo esperar do secretário de Estado um gesto de boa-fé traduzido na decisão de manter aberto o serviço.

Para Carneiro, é "imoral deixar aquelas populações privadas de um direito fundamental".

Criticando as pessoas da administração desconcentrada do Estado que se "vangloriam" por encerrar serviços por razões meramente económicas, o presidente de Baião alertou, por outro lado, para o impacto negativo que aquela decisão também poderá ter na economia da região, afastando turistas e afetando centenas de postos de trabalho.

+ notícias: Norte

Homem morre ao cair de telhado em Vila Nova de Gaia

Um homem morreu na sequência de uma queda de um telhado, neste sábado, no largo do Bôdo, em Serzedo, Vila Nova de Gaia, apurou o Porto Canal junto das autoridades.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.