Info

PGR abre investigação após relatório sobre Citius enviado por ministra da Justiça

PGR abre investigação após relatório sobre Citius enviado por ministra da Justiça
| Política
Porto Canal

A Procuradora-Geral da República (PGR) abriu uma investigação depois de a ministra da Justiça ter enviado sexta-feira um relatório sobre a plataforma informática Citius, tendo nomeado o procurador Pedro Verdelho para assumir o inquérito.

Em resposta à agência Lusa, a PGR refere que na sequência do envio do relatório, na passada sexta-feira, pela ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, "foi instaurado um inquérito com a finalidade de investigação", da matéria referida no documento sobre o Citius.

A PGR adianta que, atendendo à complexidade processual e à repercussão social da matéria em investigação, nomeou para assumir a direcção do inquérito o procurador da República, Pedro Verdelho, tendo em consideração os "especiais conhecimentos técnicos" deste magistrado.

O relatório, elaborado pelo Instituto de Gestão Fincaceira e Equipamentos da Justiça (IGFEJ) e enviado pela ministra para a PGR, aponta para alegadas omissões de informações importantes das chefias intermédias durante o processo de adaptação da plataforma à nova organização judiciária, que podem configurar a prática de eventuais ilícitos criminais.

Paula Teixeira da Cruz mandou também instaurar um inquérito interno de natureza disciplinar.

Hoje, o Diário de Notícias avança que o Ministério Público está a investigar dois técnicos informáticos requisitados pelo IGFEJ à PJ por alegada sabotagem ao sistema informático Citius.

Na sexta-feira, nas jornadas parlamentares conjuntas do PSD e do CDS-PP, a ministra da Justiça disse já ter o relatório sobre "o que terá sucedido durante o tempo em que a plataforma do Citius apresentou deficiências profundíssimas", que "será reencaminhado para as instâncias próprias".

"Houve sempre um acompanhamento, aquilo que aconteceu a 01 de setembro não era de todo previsível, não só era previsível como não era expectável, como tinham sido feitos testes", afirmou.

O bloqueio da plataforma informática Citius no arranque do novo mapa judiciário, a 1 de setembro, gerou críticas de magistrados, advogados e funcionários judiciais, que alertaram para o "caos" gerado nos tribunais, tendo, no plano político, levado partidos da oposição a pedir a demissão da ministra da Justiça.

+ notícias: Política

Rui Rio anuncia recandidatura à liderança do PSD

O presidente do PSD, Rui Rio, anunciou hoje que é candidato nas próximas eleições internas, afirmando estar disponível para enfrentar as adversidades inerentes, mas não as deslealdades e boicotes internos.

Governo: Costa com equipa de 50 secretários de Estados entre os quais 18 mulheres

O primeiro-ministro indigitado, António Costa, apresentou hoje ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, uma equipa de 50 secretários de Estado para o XXII Governo Constitucional, entre eles 18 mulheres.

Vários portugueses assinaram manifesto que defende uma solução política e não judicial na Catalunha

Vários nomes portugueses assinaram um manifesto que sublinha que o problema na Catalunha é de natureza eminentemente política e que, por isso, carece de soluções políticas e não judiciais. Os subscritores defendem a amnistia imediata dos líderes políticos e associativos catalães presos e que sejam levantadas as acusações contra todos os cidadãos catalães que participaram na organização do referendo de outubro de 2017. Fernando Rosas, André Freire e Manuel Loff são alguns dos subscritores.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Porto Legends - The Underground...