Info

Jovens magoam-se por "grande sofrimento" e não para chamar à atenção

| País
Fonte: Agência Lusa

Porto, 17 out (Lusa) -- Os jovens autolesam-se porque estão em "grande sofrimento" e não para chamar à atenção da família, amigos ou professores, disse hoje à Lusa o professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Diogo Guerreiro.

"Os miúdos que se autolesam têm, na sua grande maioria, problemas psiquiátricos, estão em grande sofrimento e sentem que ninguém os pode ajudar, por isso, quase nunca pedem ajuda clínica", afirmou.

Segundo Diogo Guerreiro, os jovens "castigam o corpo para aliviar a alma", comportamentos que se agravam com a idade adulta, assim como a possibilidade de cometer suicídio."É preciso falar e dar mais importância a este assunto, tal como acabar com o estigma social da saúde mental", afirmou.

A "Autolesão e Adolescência" será tema de um simpósio a realizar no próximo sábado, no Auditório Carvalho Guerra, no Porto, organizado pela associação Mil Razões.

O painel de oradores engloba, além de Diogo Guerreiro, profissionais da área da psiquiatria, psicologia, sociologia ou ensino.

O psiquiatra afiançou que a tristeza constante, desinteresse escolar, dificuldades de comunicação e isolamento são os primeiros sinais de alerta.

Num contexto geral, a depressão, ansiedade, traumas, dificuldades em falar com os pais ou maus resultados escolares levam os jovens a queimarem-se, cortarem-se, baterem-se ou tomarem medicamentos em excesso, frisou.

Estes comportamentos são "secretos" e não detetados pela família, amigos, escola ou médico de família, salientou o professor.

Na opinião de Diogo Guerreiro, os adolescentes que se autolesam têm "menos expetativa de vida", por isso, consomem drogas, fumam e bebem mais do que o que deviam.

"Estes miúdos sentem uma fraqueza enorme, daí ser importante criar campanhas de sensibilização, tal como instruir a população para detetar os sinais de alerta", considerou.

Cerca de 7% dos jovens, na sua maioria raparigas, já tiveram comportamentos autolesivos, revelou um estudo que envolveu estudantes de 14 escolas públicas da área da Grande Lisboa.

SYF // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: País

Mais nove mortes e 328 casos confirmados de Covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal regista hoje mais nove óbitos por covid-19, em relação a sábado, e mais 328 casos de infeção confirmados, dos quais 254 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral da Saúde (DGS) hoje divulgados.

Visitas a lares não serão suspensas, diz Marta Temido

A ministra da Saúde, Marta Temido disse hoje que o Governo está "com muita atenção" aos casos de covid-19 nos lares, mas rejeitou voltar a suspender visitas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.