Info

Jovens magoam-se por "grande sofrimento" e não para chamar à atenção

| País
Fonte: Agência Lusa

Porto, 17 out (Lusa) -- Os jovens autolesam-se porque estão em "grande sofrimento" e não para chamar à atenção da família, amigos ou professores, disse hoje à Lusa o professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Diogo Guerreiro.

"Os miúdos que se autolesam têm, na sua grande maioria, problemas psiquiátricos, estão em grande sofrimento e sentem que ninguém os pode ajudar, por isso, quase nunca pedem ajuda clínica", afirmou.

Segundo Diogo Guerreiro, os jovens "castigam o corpo para aliviar a alma", comportamentos que se agravam com a idade adulta, assim como a possibilidade de cometer suicídio."É preciso falar e dar mais importância a este assunto, tal como acabar com o estigma social da saúde mental", afirmou.

A "Autolesão e Adolescência" será tema de um simpósio a realizar no próximo sábado, no Auditório Carvalho Guerra, no Porto, organizado pela associação Mil Razões.

O painel de oradores engloba, além de Diogo Guerreiro, profissionais da área da psiquiatria, psicologia, sociologia ou ensino.

O psiquiatra afiançou que a tristeza constante, desinteresse escolar, dificuldades de comunicação e isolamento são os primeiros sinais de alerta.

Num contexto geral, a depressão, ansiedade, traumas, dificuldades em falar com os pais ou maus resultados escolares levam os jovens a queimarem-se, cortarem-se, baterem-se ou tomarem medicamentos em excesso, frisou.

Estes comportamentos são "secretos" e não detetados pela família, amigos, escola ou médico de família, salientou o professor.

Na opinião de Diogo Guerreiro, os adolescentes que se autolesam têm "menos expetativa de vida", por isso, consomem drogas, fumam e bebem mais do que o que deviam.

"Estes miúdos sentem uma fraqueza enorme, daí ser importante criar campanhas de sensibilização, tal como instruir a população para detetar os sinais de alerta", considerou.

Cerca de 7% dos jovens, na sua maioria raparigas, já tiveram comportamentos autolesivos, revelou um estudo que envolveu estudantes de 14 escolas públicas da área da Grande Lisboa.

SYF // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: País

Professores vão lecionar outras disciplinas para colmatar falha de docentes

Os professores vão passar a dar aulas de uma disciplina diferente da sua formação para colmatar a falta de professores nas escolas. A Fenprof critica a forma como o Governo pretende resolver o problema da falta de professores.

Operação Nariz Vermelho avançou para MP com base em queixas da atuação do Kastelo

A Operação Nariz Vermelho apresentou queixa no Ministério Público (MP) contra a Associação NoMeioDoNada por suspeita de negligência e maus tratos na Casa do Kastelo "após tomada de conhecimento de alegadas situações que caso sejam comprovadas são inaceitáveis".

Mais de 70 medicamentos inovadores aprovados em Portugal só no ano passado

Mais de 70 novos medicamentos foram aprovados no ano passado em Portugal pela Autoridade do Medicamento, que conseguiu reduzir em mais de 200 milhões de euros as condições propostas pelas farmacêuticas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.