Info

Jovens magoam-se por "grande sofrimento" e não para chamar à atenção

| País
Fonte: Agência Lusa

Porto, 17 out (Lusa) -- Os jovens autolesam-se porque estão em "grande sofrimento" e não para chamar à atenção da família, amigos ou professores, disse hoje à Lusa o professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Diogo Guerreiro.

"Os miúdos que se autolesam têm, na sua grande maioria, problemas psiquiátricos, estão em grande sofrimento e sentem que ninguém os pode ajudar, por isso, quase nunca pedem ajuda clínica", afirmou.

Segundo Diogo Guerreiro, os jovens "castigam o corpo para aliviar a alma", comportamentos que se agravam com a idade adulta, assim como a possibilidade de cometer suicídio."É preciso falar e dar mais importância a este assunto, tal como acabar com o estigma social da saúde mental", afirmou.

A "Autolesão e Adolescência" será tema de um simpósio a realizar no próximo sábado, no Auditório Carvalho Guerra, no Porto, organizado pela associação Mil Razões.

O painel de oradores engloba, além de Diogo Guerreiro, profissionais da área da psiquiatria, psicologia, sociologia ou ensino.

O psiquiatra afiançou que a tristeza constante, desinteresse escolar, dificuldades de comunicação e isolamento são os primeiros sinais de alerta.

Num contexto geral, a depressão, ansiedade, traumas, dificuldades em falar com os pais ou maus resultados escolares levam os jovens a queimarem-se, cortarem-se, baterem-se ou tomarem medicamentos em excesso, frisou.

Estes comportamentos são "secretos" e não detetados pela família, amigos, escola ou médico de família, salientou o professor.

Na opinião de Diogo Guerreiro, os adolescentes que se autolesam têm "menos expetativa de vida", por isso, consomem drogas, fumam e bebem mais do que o que deviam.

"Estes miúdos sentem uma fraqueza enorme, daí ser importante criar campanhas de sensibilização, tal como instruir a população para detetar os sinais de alerta", considerou.

Cerca de 7% dos jovens, na sua maioria raparigas, já tiveram comportamentos autolesivos, revelou um estudo que envolveu estudantes de 14 escolas públicas da área da Grande Lisboa.

SYF // MSP

Lusa/Fim

+ notícias: País

Covid-19: Cem toneladas de equipamentos de proteção chegam na terça-feira

Um carregamento de cem toneladas de equipamento de proteção individual para o Serviço Nacional de Saúde contra a pandemia de covid-19 chega a Portugal na próxima terça-feira, disse hoje a responsável do Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.

Covid-19: Pandemia deixa milhares de crianças por vacinar

A Covid-19 tem afastado os pais dos centros da saúde e tem levado a que os filhos num cumpram com o Plano Nacional de Vacinação. A Direção Geral da Saúde alerta para a importância das vacinas até, pelo menos, aos 12 meses.

Covid-19: Ovar diz sentir "muito pouco apoio" de Segurança Social e Ministério da Saúde

O presidente da Câmara de Ovar, município atualmente em estado de calamidade pública devido à pandemia Covid-19 e sujeito a cerco sanitário, disse este sábado sentir "muito pouco apoio" por parte do Instituto da Segurança Social e do Ministério da Saúde.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.