Info

Falta de professores motiva protestos em Casal de Cambra, Sintra

| País
Fonte: Agência Lusa

Sintra, 30 set (Lusa) -- A associação de pais da escola Agostinho da Silva, em Casal de Cambra, Sintra, voltou hoje a protestar contra a falta de 33 professores e a transferência de docentes que impedem o início normal do novo ano letivo.

"Queremos professores", gritaram à porta da Escola EB 2,3 Prof. Agostinho da Silva, em Casal de Cambra, algumas dezenas de pais e alunos, concentrados desde as 08:00 em frente do estabelecimento de ensino.

"Num agrupamento de 110 professores continuam a faltar 33, o que afeta cerca de 200 crianças nas várias escolas", explicou à agência Lusa Helena Santos, presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação daquela escola.

Segundo Helena Santos, "lamentavelmente, houve 27 professores que pediram recondução para estas escolas [do agrupamento] e apenas um conseguiu".

O agrupamento de escolas Agostinho da Silva possui 150 crianças com necessidades educativas especiais.

Este agrupamento é composto pelo Jardim de Infância (JI) n.º 1 de Casal de Cambra, EB1/JI de Casal de Cambra, EB1 n.º 2 de Casal de Cambra e EB2,3 Prof. Agostinho da Silva, com cerca de 700 alunos.

LYFS // JLG

Lusa/fim

+ notícias: País

Sindicato dos Motoristas admite recorrer à justiça para responsabilizar aqueles que violaram leis

O porta-voz do sindicato de motoristas de matérias perigosas, Pedro Pardal Henriques, admitiu este sábado recorrer à justiça para “responsabilizar todos aqueles que violaram as leis” na greve.

ASAE apreende 7.000 artigos em combate à contrafação no Facebook

A ASAE apreendeu em Castelo de Paiva e Coimbra mais de sete mil artigos desportivos contrafeitos, no valor de 62 mil euros, numa ação contra produtos contrafeitos vendidos através do Facebook e 'websites'.

Vários setores de atividade confessam que não aguentam mais dias de paralisação dos motoristas

A greve dos motoristas de matérias perigosas começou há quase uma semana mas os portugueses começaram a preparar-se muito antes. Também os vários setores de atividade revelaram estar bem preparados mas há quem diga que não aguenta mais dias de paralisação.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.