Info

Morreu indígena da Bolívia Carmelo Flores Laura de 123 anos

| Mundo
Fonte: Agência Lusa

La Paz, 10 jun (Lusa) -- O índio aimará Carmelo Flores Laura, que, segundo as autoridades bolivianas, era o homem mais velho do mundo com 123 anos, morreu, devido a uma diabetes do tipo 2, anunciaram hoje fontes oficiais.

O médico Adalberto Segales, do centro de saúde da comunidade de Frasquia, no município de Achacachi, informou que Flores Laura morreu na segunda-feira às 21:00 locais (01:00 de terça-feira em Lisboa), depois de ter estado uma semana doente.

"O meu avô morreu na sua residência, onde estava aos cuidados do meu pai", disse o neto René Flores ao diário La Razón, citado pela Efe.

O Governo de La Paz considerou há uns meses atrás, Flores, um agricultor que vivia a cerca de 4.000 metros de altitude, como o homem mais velho do planeta.

Segundo as autoridades, Carmelo Flores Laura nasceu no dia 16 de julho de 1891, segundo os registos oficiais citados.

Em setembro passado o Presidente da Bolívia, Evo Morales, visitou o agricultor na sua casa de adobe, e anunciou que o Governo iniciara o processo necessário para que o livro dos recordes, "Guiness Book", o reconhecesse como o homem mais velho do mundo. O Governo não voltou a dar pormenores do encaminhamento da questão.

Quando o caso Flores Laura foi conhecido, a imprensa noticiou que o índio se alimentava principalmente de quinoa, uma planta autóctone que dá uns grãos, de cevada, batata, feijão e água proveniente de um lençol de neve perto da sua vila, e mastigava folhas de coca como qualquer índio da Bolívia, segundo a família.

Segundo a mesma fonte, o índio aimará aliviava as dores da artrite e outras doenças, com fricções de uma mezinha caseira, constituída por três cobras conservadas num frasco com álcool.

NL // SMA

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Estado Islâmico reivindica autoria dos atentados no Sri Lanka

O grupo 'jihadista' Estado Islâmico reivindicou hoje a autoria dos atentados suicidas no Sri Lanka contra igrejas e hotéis de luxo, que causaram no domingo a morte de mais de 300 pessoas.

Dados oficiais elevam para 207 número de mortos nas explosões no Sri Lanka

O balanço do número de mortos da série de explosões esta manhã em quatro hotéis, três igrejas e um complexo residencial no Sri Lanka é agora de 207 vítimas e 450 feridos, segundo dados oficiais.

Um português entre os mortos nas explosões no Sri Lanka

A cônsul de Portugal em Colombo, Preenie Pine, disse hoje à Lusa que existe um português entre as vítimas mortais das explosões que ocorreram em três igrejas e três hotéis no Sri Lanka.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.