Info

Sindicato denuncia falta de pessoal nas urgências básicas do Algarve

| País
Fonte: Agência Lusa

Faro, 24 mai (Lusa) - O Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul responsabilizou hoje o ministro da Saúde e os responsáveis regionais da saúde pela degradação dos serviços na região, denunciando a falta de pessoal nos Serviços de Urgência Básica (SUB).

Em comunicado, a delegação de Faro daquele sindicato refere que os serviços do pessoal auxiliar e administrativo dos SUB, instalados nos centros de saúde, são garantidos com recurso a trabalho extraordinário de trabalhadores do Centro Hospitalar do Algarve, o que coloca em risco o funcionamento, já que são "centenas de horas que não são cobertas pela escala".

"Não tendo pessoal para completar ou até fazer a escala de serviço, o SUB de Albufeira já ficou com vários turnos sem auxiliar, o que coloca em causa a garantia da prestação de serviços de qualidade ao utente, uma vez que a desinfeção do serviço, o acompanhamento dos utentes e a prestação de cuidados em que é necessário o auxiliar não são garantidos", sublinham.

Aquele refere ainda que sempre questionou a localização dos quatro SUB da região nos centros de saúde, ocupando os espaços dos antigos Serviços de Atendimento Permanente (SAP), tendo alertado a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve para "a situação de rotura que estava eminente nestes serviços".

Segundo o sindicato, a ARS/Algarve e o Centro Hospitalar do Algarve (CHA) terão argumentado que este seria um processo transitório, mas apesar de em abril do ano passado a ARS ter celebrado um protocolo com o hospital, "a efetivação da passagem das responsabilidades para o hospital o que ainda não aconteceu".

Esta semana, a ARS/Algarve disse já ter tomado as diligências necessárias para colmatar a falta de enfermeiros em Serviços de Urgência Básica e que vai iniciar o mais brevemente possível o recrutamento de 45 profissionais.

Segundo a ARS, o CHA tem a responsabilidade de assegurar os profissionais para garantir o funcionamento dos SUB de Vila Real de Santo António, Loulé e Albufeira, à semelhança do que acontece no SUB de Lagos.

A administração do Centro Hospitalar diz não ter ainda essa competência, porque não foi concretizada formalmente e não foram transferidas as verbas necessárias.

MAD (MHC/SCYS) // GC

Lusa/fim

+ notícias: País

Sete escolas superiores, três delas no Norte, com ordem de encerramento por falta de acreditação

Sete escolas superiores, três delas localizadas no Norte do país, chumbaram na avaliação da agência de acreditação do ensino superior e têm ordem de encerramento compulsivo, mas algumas vão poder manter-se abertas até aos atuais alunos concluírem os cursos, adiantou esta terça-feira a tutela.

Polícia espanhola entrega à PJ português que terá sequestrado filha menor em Braga

A Polícia Nacional espanhola de Vigo entregou à Polícia Judiciária do Porto um pai português alvo de um mandado europeu de detenção e que alegadamente sequestrou a filha de 10 anos em Braga, há dois meses.

Fogo em Vila de Rei e Mação dominado em 90%, evolução com "reservas" devido ao vento

O fogo que lavra desde sábado em Vila de Rei (Castelo Branco) e Mação (Santarém) mantém-se dominado em 90%, existindo ainda zonas "muito quentes", sendo as próximas horas encaradas "com muita reserva", disse esta segunda-feira a proteção civil.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.