Info

Doenças circulatórias foram principal causa de morte em Portugal em 2012

| País
Fonte: Agência Lusa

Lisboa, 23 mai (Lusa) - As doenças circulatórias foram a principal causa de morte em 2012 e, juntamente com o cancro, foram responsáveis por mais de metade dos óbitos ocorridos em Portugal nesse ano, revelam dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) hoje divulgados.

Quase 33 mil pessoas morreram nesse ano em Portugal devido a doenças do aparelho respiratório (AVC, doença isquémica do coração ou enfarte agudo do miocárdio), que representam 30,4 por cento das mortes por doença ocorridas no país e uma taxa de mortalidade de 312 mortes por 100 mil habitantes.

Portugal registou 107.969 mortes em 2012 (103.203 morte em 2011), 96,3 por cento das quais por doença e 3,7 por cento devido a lesões externas e envenenamento.

As doenças cerebrovasculares (AVC) destacam-se entre as doenças do aparelho circulatório, tendo sido responsáveis por 12,5 por cento do total de mortes no país, com uma taxa de mais de 128 mortes por cada 100 mil habitantes, seguidas pelas doenças do coração (6,5 por cento) que foram a causa de mais de 66 mortes por 100 mil habitantes e pelo enfarte do miocárdio (4,3 por cento).

A morte por AVC atingiu principalmente as mulheres com uma relação de 76 óbitos masculinos por 100 femininos, enquanto a morte por doença isquémica do coração incidiu maioritariamente nos homens(111 óbitos masculinos por 100 femininos).

Os tumores malignos estiveram na origem de quase um quarto das mortes, tendo morrido em 2012 quase 26 mil pessoas devido a esta doença, representando 23,9 por cento do total de morte por doença.

CFF // SO

Lusa/Fim

+ notícias: País

Quercus denuncia a existência de uma corrida ao lítio em Portugal

A associação ambientalista Quercus denuncia a existência de uma corrida ao lítio em Portugal. Nos últimos três anos, 79 municípios receberam pedidos de prospecção.

Notas do 9.º ano descem a Português e Matemática volta à positiva

As médias dos alunos do 9.º ano nos exames desceram este ano a Português e a Matemática, voltando a uma média positiva, mas com uma taxa de reprovação ainda a rondar os 30%, segundo dados oficiais hoje divulgados.

Cada português consumiu no ano passado 3,3Kg de açúcar em 60 litros de refrigerante

Cada português consumiu no ano passado 60 litros de refrigerantes, o que equivale a 3,3 quilogramas de açúcar, um valor menor do que no ano anterior, quando começou a ser aplicado o imposto sobre estas bebidas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.