Info

MAI confia na polícia na caça a suspeito de homicídio em S. João da Pesqueira

| Norte
Fonte: Agência Lusa

Amares, 11 mai (Lusa) - O ministro da Administração Interna manifestou hoje "confiança" nos elementos da GNR e da PJ que procuram o suspeito de balear quatro mulheres em S. João da Pesqueira, mas admitiu que "todos" desejariam que a operação já tivesse terminado.

"Tenho, evidentemente, confiança nos homens da Guarda Nacional Republicana e da Polícia Judiciária que estão no terreno, mas evidentemente todos, a começar por eles próprios, desejariam que essa operação já tivesse terminado", afirmou Miguel Macedo.

A 17 de abril, quatro mulheres foram baleadas na freguesia de Valongo dos Azeites, no norte do distrito de Viseu, tendo duas acabado por morrer e outras duas ficado feridas.

O suspeito é um homem de 61 anos, que estava com pulseira eletrónica desde outubro de 2013 e proibido de contactar a sua ex-mulher, que foi uma das baleadas.

Foram ainda atingidas a tiro de caçadeira a filha do suspeito, que sofreu ferimentos graves, e a sua ex-sogra e uma tia da ex-mulher, que acabaram por morrer.

VCP (CMM) // JLG

Lusa/fim

+ notícias: Norte

Remoção dos resíduos perigosos depositados em São Pedro da Cova "vai finalmente avançar"

A remoção dos resíduos perigosos depositados em São Pedro da Cova, Gondomar, "vai finalmente avançar", disse hoje o presidente da câmara local, Marco Martins, revelando que o visto do Tribunal de Contas (TdC) que faltava chegou "esta semana".

Urgência noturna gastroenterologia de Braga encerrada. Ordem dos Médicos considera "inaceitável"

A urgência noturna de gastroenterologia do Hospital de Braga foi encerrada, uma situação que a direção diz ser "temporária", mas que a Ordem dos Médicos (OM) classificou de "inaceitável" por "aumentar a pressão" dos centros hospitalares do Porto.

Tribunal declara a insolvência da Cervejaria Galiza no Porto

O Tribunal de Comércio de Vila Nova de Gaia declarou a insolvência da Cervejaria Galiza, no Porto, requerida por um dos credores por dívida de quase 12.000 euros, e deu 30 dias para a reclamação de créditos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.