Info

Teletrabalho volta a ser obrigatório durante novo confinamento geral

Teletrabalho volta a ser obrigatório durante novo confinamento geral
| Política
Porto Canal com Lusa

O teletrabalho vai ser obrigatório durante o novo confinamento geral sem necessidade de haver acordo entre a empresa e o trabalhador e o valor das coimas vai duplicar em caso de incumprimento, disse hoje o primeiro-ministro.

"Tal como sucedeu durante os meses de março e abril, o teletrabalho é imposto sem necessidade de acordo entre entidade patronal e trabalhador e dispensado o acordo de qualquer deles", disse António Costa, acrescentando que "para assegurar o cumprimento desta obrigação considerarmos como muito grave a coima decorrente da violação de obrigatoriedade do teletrabalho".

O chefe do executivo afirmou que estas duas alterações no teletrabalho face ao regime que vigorou nestes últimos estados de emergência, em novembro e dezembro, surgem por se ter constatado que "não havido o cumprimento das regras de obrigatoriedade do teletrabalho" sempre que este é possível.

Falando no final do Conselho de Ministros que aprovou as medidas de confinamento geral ao abrigo do novo estado de emergência, o primeiro-ministro afirmou que "o teletrabalho é mesmo obrigatório sempre que ele é possível", tendo ainda acentuado que para sinalizar a "determinação de que é fundamental fazermos um esforço acrescido" para conter a pandemia as sanções associadas às medidas de contenção da covid-19 vão ser "duplicadas".

+ notícias: Política

Marcelo considera que encerramento das escolas "é uma boa solução"

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República Portuguesa e candidato a novo mandato Presidencial, depois da Ministra da Saúde, Marta Temido, admitir o encerramento imediato das escolas face à pandemia de Covid-19, afirma que "fechar as escolas é uma boa solução".

Ministra da Saúde admite fecho de escolas de imediato devido à pandemia do Covid-19

Marta Temido, Ministra da Saúde, em entrevista à RTP, disse que o país poderá ter de fechar todas as escolas de imediato. No entanto remete a decisão final sobre o assunto para o conselho de ministros desta quinta-feira.

Marcelo Rebelo de Sousa aponta segunda volta como provável caso abstenção atinja 70%

O Presidente da República e recandidato ao cargo, Marcelo Rebelo de Sousa, apontou hoje uma segunda volta como provável, "quase inevitável", no caso de a abstenção nas eleições presidenciais de domingo atingir os 70%.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Exemplos de treinos que podemos fazer...