Info

Covid-19: Apoios públicos devem ser "absolutamente extraordinários"

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 20 nov 2020 (Lusa) -- O presidente executivo do Lloyds Bank, António Horta Osório, considerou hoje que os apoios públicos às empresas e famílias para responder à crise da pandemia da covid-19 devem ser "absolutamente extraordinários".

"É importante que os apoios corretos à economia e os próximos apoios sejam o mais possível apoios extraordinários, apoios pontuais" que não sejam repetidos nos anos seguintes, disse o economista na conferência Money Conference, organizada pelo Dinheiro Vivo e pela TSF.

"A um efeito extraordinário da Covid deve haver resposta extraordinária", disse Horta Osório, considerando que o Governo deve continuar com apoios públicos, mesmo que isso signifique um aumento do défice e a dívida pública.

Tais apoios devem ser no "curto prazo", salientou o economista, acrescentando que "com tempo e a longo prazo", o Governo deve preocupar-se com a correção das contas públicas e em regressar à trajetória de descida da sua dívida.

Para Horta Osório é preciso também criar riqueza: "Podemos repartir o bolo da maneira que quisermos, mas o primeiro objetivo devia ser aumentar o tamanho do bolo."

A única forma de o fazer, referiu, é "ter políticas corretas, que aumentem a riqueza geral do país, para que isso possa traduzir-se em salários maiores para cada pessoa" e que depois a distribuição dessa riqueza seja feita de forma "justa e equilibrada".

Portugal deve ainda, na opinião do economista, contrariar "urgentemente" o "enorme problema de envelhecimento".

"A pirâmide etária de portuguesa passou de uma pirâmide (o que devia ser) para um bloco, um retângulo vertical", disse.

Tal significará que "o rácio de dependentes vai passar, no caso português, para mais de um dependente para cada trabalhador", com impacto na Segurança Social.

Por outro lado, o envelhecimento da população vai fazer com que sejam necessários "muitos mais apoios médicos, com impacto inevitável no Sistema Nacional de Saúde", acrescentou.

 

ICO // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Consumo de eletricidade por causa do frio bate recorde diário com 11 anos

O consumo de eletricidade bateu na quarta-feira o recorde diário de 11 anos e o de gás natural ultrapassou o máximo de 2017, segundo dados da REN - Redes Energéticas Nacionais hoje divulgados.

Comerciantes dizem que há outras formas de controlar a pandemia com lojas abertas

Comerciantes dizem que há outras formas de controlar a pandemia com lojas abertas

Supermercados não vão poder vender livros, roupa nem objetos de decoração

Os supermercados e hipermercados vão ficar impedidos a partir da próxima semana de vender artigos não alimentares, como roupa, livros e objetos de decoração, disse hoje o ministro de Estado e da Economia.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

D'Mais

Cuida de ti - três mitos do...

N'Agenda

"Eu toco porque há coisas que...