Info

Covid-19: Reino Unido 21.242 novas infeções, menos 20% do que na véspera

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Londres, 22 out 2020 (Lusa) - O Reino Unido registou 21.242 novas infeções de covid-19 nas últimas 24 horas, menos 20% do que na véspera, e 189 mortes, informou o ministério da Saúde britânico.

Na quarta-feira tinham sido registadas 26.688 novos casos, mais 25% do que no dia anterior, e 191 mortes. 

Nos últimos sete dias morreram no Reino Unido 1.054 pessoas vítimas de covid-19, uma média de 151 por dia, um aumento de 50% relativamente aos sete dias anteriores. 

O total acumulado desde o início da pandemia de covid-19 no Reino Unido é agora de 810.467 casos de infeção confirmados e de 44.347 óbitos registados num período de 28 dias após as vítimas terem recebido um teste positivo. 

Hoje foi conhecido que os hospitais de Liverpool, zona com um dos mais elevados índices de infeção, estão a tratar mais pacientes com covid-19 do que em abril, revelou Tristan Cope, diretor médico da fundação Liverpool University Hospitals NHS Trust.

Entretanto, Manchester pretende reabrir na próxima semana o hospital de campanha construído durante a primavera para lidar com o número crescente de internamentos.

Para apoiar trabalhadores e empresas afetados por restrições destinadas a evitar o contacto social e a propagação do coronavírus, nomeadamente dos setores da restauração, lazer ou turismo, o ministro das Finanças, Rishi Sunak, reforçou o Regime de Apoio a Empregos. 

A partir de novembro, o Governo vai cobrir 67% dos trabalhadores em 'layoff' e 49% daqueles em trabalho parcial de pelo menos 20% do horário habitual. 

Neste último caso, as empresas só vão pagar 5% dos salários, em vez de 33%, embora os trabalhadores continuem a ver os salários reduzidos em entre 27 e 33%. 

Nas últimas semanas o Governo tem enfrentado críticas de empresários e resistência de autarcas à falta de apoio para empresas afetadas pelas restrições impostas em várias partes de Inglaterra, sobretudo norte e centro. 

A região de South Yorkshire, no norte de Inglaterra, e a área metropolitana de Manchester vão juntar-se a Liverpool e Lancashire no nível de alerta "muito elevado", que implica que 'pubs' e bares sejam obrigados a fechar, a não ser que sirvam refeições, bem como ginásios, casas de apostas, casinos ou parques infantis interiores.

Mas empresas dos mesmos setores noutras áreas onde o nível de restrições é "elevado", o segundo mais alto numa escala de três, também se queixam de impacto indireto devido aos limites no convívio social. 

Em toda a Inglaterra, são proibidos ajuntamentos com mais de seis pessoas e bares e restaurantes têm de fechar às 22:00 horas, mas 28 milhões de pessoas, ou cerca de metade da população, incluindo Londres, vivem agora sob restrições mais apertadas por estarem no segundo ou terceiro nível de risco.

Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte têm autonomia sobre a matéria da saúde e estabelecem as suas próprias medidas.

 A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 41,3 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

BM // ANP

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Covid-19: Erro de fabrico levanta questões sobre testes com vacina da AstraZeneca/Oxford

A AstraZeneca e a Universidade de Oxford reconheceram hoje um erro de fabrico que está a levantar questões sobre os resultados preliminares e a eficácia da sua vacina experimental contra a covid-19.

Covid-19: Rússia anuncia eficácia de 95% da vacina Sputnik V

A Rússia anunciou hoje que sua vacina Sputnik V contra a covid-19, desenvolvida pelo Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya em Moscovo, tem uma eficácia de 95% eficaz, segundo resultados preliminares.

Entidade europeia alerta que países que retirem medidas do Covid-19 para o Natal terão aumento de internamentos em janeiro

O Centro Europeu de Controlo de Doenças estima que se os países que em outubro e novembro tomaram novas medidas para controlar a pandemia as levantassem a 21 de dezembro, os internamentos hospitalares aumentariam na primeira semana de janeiro.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

N'Agenda

Exposição 'A Arte do Falso'

D'Mais

Upcycling Project - suporte para facas