Info

Mulher baleada com gravidade em S. João da Pesqueira com "prognóstico favorável"

| País
Fonte: Agência Lusa

S. João da Pesqueira, 21 abr (Lusa) - Uma das quatro mulheres baleadas na quinta-feira em Valongo dos Azeites, no concelho de São João da Pesqueira, encontra-se internada em Coimbra e está a evoluir favoravelmente, informou hoje fonte hospitalar.

Em declarações à agência Lusa, fonte oficial do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra explicou que "a doente está a evoluir", encontrando-se com "prognóstico favorável".

A mulher internada em Coimbra tem 30 anos e será a filha e não a ex-mulher do alegado agressor, ao contrário do que vinha sendo noticiado.

"Foi operada na cirurgia cardiotorácica, tendo a intervenção à caixa torácica corrido muito bem", acrescentou a mesma fonte.

No Hospital de Viseu encontra-se internada a ex-mulher do suspeito de 61 anos, que terá sofrido ferimentos numa perna.

Contactada pela Lusa, fonte hospitalar escusou-se a dar pormenores sobre o seu estado de saúde.

Das quatro mulheres baleadas na freguesia de Valongo dos Azeites, no norte do distrito de Viseu, duas acabaram por morrer na quinta-feira.

O alegado autor dos disparos continua a ser procurado pela GNR e Polícia Judiciária, especialmente no norte do distrito de Viseu.

CMM // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Federação afirma que enfermeiros "têm estado a ser humilhados" pelo Governo

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Enfermeiros (FENSE) e o Ministério da Saúde não chegaram a acordo na última reunião que realizaram. A Federação defende que os enfermeiros "têm estado a ser humilhados" pelo Governo.

Polícia Judiciária faz buscas no MAI e na Proteção Civil por causa do caso das golas anti-fumo

A Polícia Judiciária está quarta-feira a fazer buscas nas instalações do Ministério da Administração Interna (MAI) e na Autoridade Nacional da Proteção Civil, alegadamente por causa do caso das golas antifumo.

Associações de doentes alertam para "realidade assustadora" de falta de medicamentos

Setenta associações de doentes enviaram uma carta ao Infarmed a alertar para a "realidade assustadora" de doentes cujo estado de saúde se tem "agravado" devido à falta de medicamentos nas farmácias e à não aprovação de fármacos inovadores.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.