ESPECIAL CANDIDATURAS
CLIQUE AQUI PARA VER MAIS
Projeto Parceria
Porto Canal
Info

Centro português que desenvolveu ventilador garante segurança para utilização

Centro português que desenvolveu ventilador garante segurança para utilização
| Norte
Porto Canal com Lusa

O CEiiA--Centro de Engenharia e Desenvolvimento, responsável pelo desenvolvimento do ventilador português, sublinhou que a autorização do Infarmed garante estarem reunidas as condições de segurança para a utilização do dispositivo médico.

Num esclarecimento divulgado na segunda-feira na plataforma LinkedIn, o CEiiA, sediado em Matosinhos, afirmou que a autorização especial emitida pelo Infarmed, nos termos do PE-COVID-19 [Procedimento especial de avaliação de dispositivos médicos no âmbito da covid-19], assegura "que estão reunidas as condições de segurança para a utilização deste ventilador [versão 1] em contexto covid-19".

O ventilador médico invasivo, desenvolvido para dar "suporte" a doentes covid-19 em falência respiratória aguda, inclui os modos de ventilação controlada em volume, em pressão, em volume controlado com pressão aguda e pressão de suporte.

A primeira versão do Atena, desenvolvida em 45 dias, teve por base uma candidatura ao programa INOV-COVID da Agência Nacional de Inovação (ANI), cujo financiamento é 100% reembolsável e através do qual o CEiiA recebeu "um empréstimo" no valor de 2,6 milhões de euros, que será devolvido conforme as vendas do ventilador no mercado internacional.

Além deste financiamento, "mais de 100 mil portugueses" contribuíram para o projeto e um conjunto de mecenas científicos ajudaram com um milhão de euros "tendo como contrapartida a entrega de 100 ventiladores aos hospitais portugueses", que foram disponibilizados de "forma gratuita".

"Desde o início, esteve sempre prevista a internacionalização do Atena para outros países para uso no contexto da covid-19, nomeadamente Brasil, Angola, etc", referiu o CEiiA, acrescentando que vai devolver o contributo dos mais de 100 mil portugueses, tendo para o efeito assinado um protocolo com o Banco Alimentar.

No esclarecimento, o centro salientou ainda que a autorização para utilização da primeira versão do ventilador Atena não significa "a certificação CE do produto", à qual o centro de investigação e inovação pretende submeter a segunda versão do dispositivo médico.

"Com o objetivo de criar a partir de Portugal uma nova capacidade na área dos dispositivos médicos que garantam uma menor dependência do exterior, nomeadamente da China, o CEiiA iniciou o desenvolvimento da segunda versão do Atena, preparada de início para o processo de certificação CE, a ser industrializada em Portugal a partir de empresas nacionais", de acordo com a nota.

O projeto, que envolve a segunda versão do Atena, está a ser desenvolvido no âmbito do 4Life Lab, que, entre outras entidades, integra os Hospitais de São João e de Santo António, no Porto e a Escola de Medicina da Universidade do Minho.

"O ventilador Atena é um projeto desenvolvido com humanidade, resiliência, paixão e entrega por uma equipa de médicos e engenheiros, que trabalhou noite e dia, com um propósito comum: desenvolver um dispositivo médico, que, no contexto de pandemia, permitisse salvar vidas em Portugal e no Mundo. Um produto industrializável que não ficasse apenas pela fase de modelo ou protótipo", acrescentou o CEiiA no esclarecimento, que surgiu na sequência de uma notícia emitida pela RTP.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 650 mil mortos e infetou mais de 16,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.719 pessoas das 50.299 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

+ notícias: Norte

GNR registou 800 incêndios até domingo nos quatro concelhos mais afetados do distrito Porto

O comando territorial do Porto da GNR informou hoje ter registado, desde 01 de janeiro, cerca de 800 ocorrências de incêndio nos concelhos de Paredes, Felgueiras, Valongo e Santo Tirso, os mais afetados no distrito do Porto.

Homem de 40 anos detido em flagrante por violência doméstica em Melgaço

 

Um homem de 40 anos foi detido pela GNR, esta terça-feira, em flagrante por violência doméstica, no concelho de Melgaço, apurou o Porto Canal junto das autoridades.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS