ESPECIAL CANDIDATURAS
CLIQUE AQUI PARA VER MAIS
Projeto Parceria
Porto Canal
Info

Covid-19: Vírus já matou mais de 502 mil pessoas e infetou mais de 10 milhões no mundo

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Redação, 29 jun 2020 (Lusa) - A pandemia de covid-19 já matou 502.599 pessoas e infetou mais de 10 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP, às 19:00 TMG de hoje, baseado em dados oficiais.

De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa, às 19:00 TMG (20:00 de Lisboa) de hoje, 10.208.540 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em finais de dezembro passado, na cidade chinesa de Wuhan, dos quais pelo menos 5.094.900 agora são considerados curados.

Porém, a AFP avisa que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do número real de infeções, já que alguns países estão a testar apenas casos graves, outros usam o teste como uma prioridade para rastreamento e muitos estados pobres têm apenas capacidade limitada de rastreamento.

Desde a contagem feita no domingo às 19:00 TMG de domingo, 2.969 novas mortes e 144.004 novos casos ocorreram em todo o mundo.

Os países com mais mortes nas últimas 24 horas são o Brasil, com 552 novas mortes, Índia (380) e México (267).

Os Estados Unidos, que tiveram a sua primeira morte ligada ao coronavírus no início de fevereiro, são o país mais afetado em termos de número de mortes e casos, com 125.928 mortes para 2.564.163 casos.

Pelo menos 685.164 pessoas foram declaradas curadas até hoje pelas autoridades norte-americanas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 57.622 mortes e 1.344.143 casos, o Reino Unido, com 43.575 mortes (311.965 casos), a Itália, com 34.744 mortes (240.436 casos) e a França, com 29.813 mortos (200.667 casos).

Entre os países mais atingidos, a Bélgica continua a ser o que apresenta maior número de óbitos face à sua população, com 84 mortes por 100.000 habitantes, seguido pelo Reino Unido (64), Espanha (61), Itália (57) e Suécia (53).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 83.512 casos (12 novos entre domingo e hoje), incluindo 4.634 mortes e 78.460 recuperações.

A Europa totalizava às 19:00 GMT de hoje, 196.428 mortes e 2.660.794 casos, os Estados Unidos e o Canadá 134.538 mortes (2.667.981 casos), América Latina e Caraíbas 112.321 mortes (2.491.030 casos), a Ásia 33.689 mortes (1.251.153 casos), o Médio Oriente 15.819 mortes (7.431,72 casos), África 9.671 mortes (385.166 casos) e a Oceânia 133 mortes (9.244 casos).

Esta avaliação foi realizada usando dados reunidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A AFP avisa que devido a correções pelas autoridades ou a publicação tardia de dados, os valores de aumento de 24 horas podem não corresponder exatamente aos publicados no dia anterior.

Em Portugal, morreram 1.568 pessoas das 41.912 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

ARA // HB

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Covid-19: Pelo menos 555 mil mortos e mais de 12,2 milhões de infetados no mundo

A pandemia do novo coronavírus já causou a morte a pelo menos 555.036 pessoas e infetou mais de 12,2 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais.

Deputado guineense propõe bloquear Facebook devido a "onda de insulto" a líderes do país

Bissau, 13 jul 2020 (Lusa) - O deputado guineense Adulai Baldé, do Movimento para a Alternância Democrática (Madem G-15), defendeu hoje acabar com a rede social Facebook na Guiné-Bissau para diminuir "a onda de insulto" aos líderes guineenses.

Covid-19: Espanha com 164 casos nas últimas 24 horas e três mortes desde sexta-feira

Madrid, 13 jul 2020 (Lusa) -- Espanha registou 164 casos de pessoas infetadas com o novo coronavírus nas últimas 24 horas e desde a última sexta-feira morreram três pessoas com a covid-19, a doença que este provoca, segundo o Ministério da Saúde espanhol.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.